* Por Elyr Teixeira

Olá, resolvi fazer esse artigo porque gostaria de compartilhar uma interessante experiência que tive na Califórnia. Não, não vou falar aqui especificamente do Vale do Silício, San Francisco e etc. Porém, vou falar de empreendedorismo e qual a relação que vejo com as Sequoias Gigantes do Parque Nacional de Yosemite.

 

O que?! Sequoia?! Gigante?! Calma, calma, vou explicar tudo direitinho. Mas antes, deixe-me fazer uma breve introdução para começarmos nossa conversa.

O Prêmio

Tudo começa com a Qualcomm. Sim, a que estava com negociações com a Broadcom e (in)felizmente não foi comprada por esta devido a questões governamentais. No ano de 2017 ela criou uma chamada para premiar os 10 melhores projetos de inovação relacionados com IoT e Wearable devices (veja o video acima). Em outubro do mesmo ano foi a divulgação e premiação dos 10 agraciados. E aí, fiquei entre os 10! Yes! O principal prêmio foi uma imersão de 7 dias na Califórnia conhecendo empresas e instituições ligadas à empreendedorismo, indústria, pesquisa e desenvolvimento. Entre elas, eu posso citar: Facebook, Ford, Plug and Play IncubatorInstitute of the Americas, IBM, e, claro, a incrível Qualcomm. Estive tanto em San Francisco, quanto em San Diego. E a viagem foi organizada pela Confederação Nacional da Industria (CNI) no começo de fevereiro de 2018. Sem dúvida, uma experiência única. Sou grato a Qualcomm pelo prêmio e pela experiência.

Porém, aproveitei a ida e estendi minha viagem por mais uma semana. Agora para visitar San Francisco com minha esposa e também para visitar o Parque Nacional de Yosemite. E é sobre esse Parque que nossa história começa. Não vou me delongar sobre Yosemite Park porque existem diversos sites que explicam ele muito bem. Uma de suas principais atrações são as famosas Sequoias Gigantes. E é aqui onde tudo começa

As Sequoias Gigantes

 

Antes de mais nada, acho que se faz necessário algumas informações sobre elas. Sequias preferem solos profundos e bem drenados, em altitudes entre 1.300 e 2.100 metros onde a água é mais disponível durante o derretimento da neve. Elas podem suportar temperaturas entre -15 a 38 graus Celsius. A casca dessas árvores antigas pode crescer até 60 cm de espessura.

Sequoias gigantes são árvores consideradas como as mais antigas, maiores e de mais rápido crescimento no mundo. Elas são muito resistentes a doenças e podem viver acima de 3.000 anos, crescer até uns 100 metros de altura e medir uns 10 metros de diâmetro. Eventualmente essas nobres gigantes caem devido ao seu próprio peso. As cicatrizes de fogo em velhas árvores testemunham sua resistência e longevidade. Algo interessante é que quando existem queimadas espontâneas, essas queimadas promovem minerais ricos no solo que são importantes para que suas sementes germinem mais rapidamente. Quando as queimadas não acontecem espontaneamente, elas são incentivas por ambientalistas. Essa cultura vem desde a época dos índios daquela região (Yosemite Park).

Mas o que tem a ver as Sequoias Gigantes com Empreendedorismo?

Pois é, à princípio parece ser mais uma estorinha para visitantes, mas acho que existem (3) importantes lições de empreendedorismo aqui. E que, devemos observar mais a natureza a nossa volta para aprender com ela.

1) Ambiente propício

Costumo dizer para alguns colegas que se Steve Jobs tivesse nascido no Acre, provavelmente ele não teria sido o empreendedor que ele foi. Ah, sem o politicamente correto aqui, tá?! Me refiro ao Acre porque não conheço nenhum caso de sucesso de lá. E, poderia ser de qualquer outro lugar que não tenha um ambiente favorável ao empreendedorismo. O contraponto são as cidades que estão preparadas para isso, tais como: São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Recife, e por aí vai. Ou seja, se você quer que algo aconteça, é importante você estar no lugar certo. Isso acontece com muitas coisas de nosso dia-a-dia. Um ambiente propício ao empreendedorismo passa muito pelas questões de regulamentação local, mão-de-obra e cultura. Exemplos: em Recife existe um pagamento semestral à prefeitura simplesmente se você (ou sua empresa) tem uma Inscrição Municipal. Na cidade do Rio de Janeiro não tem essa taxa! No Brasil, a ANATEL obriga que um aparelho já homologado por ela precise de uma “re-homologação” a cada 2 anos! Mesmo que o produto não tenha sofrido qualquer alteração desde então. Ou seja, modificação zero não implica em isenção de uma nova homologação. Isto representa nova dor de cabeça, nova burocracia e muito mais dinheiro gasto. Em outros países basta a primeira (e única) homologação. Simples assim.

Com as Sequoias “veem” isso? Elas preferem solos profundos e bem drenados, onde há água disponível no derretimento da neve. Quando você procurar um lugar para abrir, ou para estabelecer sua startup, pense em que local você está ficando (ainda que temporariamente) suas raízes. Suas raízes precisam de água abundante e um bom solo para crescer!

2) O risco de ser grande

Pois é, ser gigante não é para todos. Definitivamente não. Enquanto a alta estatura é uma característica de robustez, ao mesmo tempo isso pode ser perigoso. Alguém já disse que quando maior a altura, maior a queda. Tem um versículo bíblico que diz o seguinte: “Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia.” 1 Coríntios 10:12.

As Sequoias Gigantes sabem disso e não podem se esquivar muito desta situação. Pois enquanto vivem e crescem, sua estatura aumenta. E o problema é exatamente esse, seu peso (para os físicos, sua massa). Quanto maior, mais pesado. Mais pesado, mais fácil de tombar.

Grandes empresas também têm essa característica e por isso são chamadas de: elefantes. Elefantes não andam rápido. E sabe por que Deus os fez assim? Provavelmente para não tombarem com facilidade. É aí onde as startups tem seu diferencial. Somos pequenos e rápidos. Mudamos com facilidade. E se perdermos algo, a perda é pequena. Grandes empresas (Sequoias Gigantes) não podem fazer isso com facilidade. Mas, quando você se prepara com os fundamentos corretos, o risco de tombar diminuir, porque suas raízes estão bem fundadas (isso nos remete ao primeiro tópico).

Resumindo: tenha em mente que grandes empresas têm muito receito em cair, perder. Elas já tem uma tradição e nome no mercado. Por isso, se associar com uma startup que não possui uma credibilidade estabelecida é sempre um grande risco para elas. Entenda essa situação e saiba manejar uma possível negociação. Seja flexível para compreender ambos os lados. Quem não é flexível, quebra e tomba.

3) Queimar é saudável

Agora, se você não discordou comigo até aqui, provavelmente você fará isso agora! Sim, queimar é bom!

Como no texto acima, os antigos indígenas do Yosemite Park descobriram que as queimadas eram saudáveis para a floresta, pois, ao final dela o solo estará mais limpo e rico em alguns minerais. Várias sequoias acabam desaparecendo, e várias outras permanecem. Suas cicatrizes podem ser vistas a olho nu. É só chegar perto e ver suas regiões escuras pelas cinzas, porém, isso é saudável para elas ganharem resistência e para a floresta ter novas espécies.

Quando observo o mercado, tenho a mesma impressão. Em março de 2000 houve a chamada bolha das empresas pontocom. Onde várias delas simplesmente desapareceram após seu auge. Não estou preocupado com o motivo que ocasionou isso. Não é meu foco aqui. Mas sim, que após esse “incêndio”, boas e más empresas foram varridas do cenário. Quem ficou, provou ser mais bem adaptado e saiu mais forte do processo. A recuperação é lenta, mas é necessária para que empresas mais bem adaptadas se restabeleçam no local produzindo novas “espécies”. Temos nossa própria história para contar quando olhamos nosso passado recente. Tivemos a pior crise de nossa história no Brasil. E quem sobreviveu a ela, poderá aproveitar o crescimento da nação em sua nova fase de crescimento. Sim, crises são cíclicas e crescimento também. Indicadores econômicos já demonstram essa realidade e provavelmente ficarão melhor após eleições de 2018.

Resumindo: queimar é bom. Sim, dói, mas é saudável para sua startup e para o ecossistema onde você está inserido. A pergunta que fica é: quantas cicatrizes você já colecionou? Quão resiliente você é?

Bom, fico por aqui e espero que tenham aprendido algo.

Abraços e visitem o Yosemite Park com suas Sequoias Gigantes. Até mais!

* Elyr Teixeira é CEO da Senfio e Professor na DeVry University