O Bradesco lançou, na manhã de ontem, o InovaBra Habitat, prédio em São Paulo que abrigará startups, educadores, grandes empresas, mentores e investidores para criarem negócios de alto impacto baseados em tecnologias digitais disruptivas.

O espaço, situado nos arredores da Avenida Paulista, tem capacidade para 180 startups e 50 empresas de tecnologia, divididos em 1.500 posições. Os eixos tecnológicos trabalhados pelo Bradesco no novo espaço serão Blockchain, Big Data e Algoritmos, Internet das Coisas, Inteligência Artificial e APIs e Plataformas Digitais. Os primeiros andares começaram a ser entregues no início de janeiro e a previsão é de que o Habitat esteja completamente ocupado até o fim de março. O valor investido na criação do espaço não foi divulgado.

“Há quatro anos criamos o InovaBra para desenvolvermos inovação dentro e fora do banco. Nós não enxergamos um negócio sustentável no Bradesco se nós não tivermos inovação por trás. A criação de valor, tanto para clientes quanto para acionistas se dá, necessariamente, ao longo do tempo, por inovação.”, diz Maurício Minas, vice-presidente do Banco.

Luca Cavalcanti, Maurício Minas e Walkiria Marquetti

Os pilares do programa são o Lab (um espaço de trabalho colaborativo feito para aumentar a capacidade de inovação do banco e acelerar o processo de homologação de novas soluções); Internacional (um laboratório de inovação em Nova Iorque para prospectar startups internacionais, descobrir novos modelos de negócios e acompanhar de perto as principais tendências tecnológicas e comportamentais pelo mundo, cujo próximo polo será em Londres); Ventures (fundo de investimentos do Bradesco em startups, no modelo de corporate venture, com R$ 100 milhões de capital proprietário) e agora o Habitat.

Antranik Haroutiounian, Diretor de Pesquisa e Inovação do Bradesco, fala ao Startupi sobre o lançamento do Espaço:

“O que diferencia o InovaBra Habitat de outros ambientes de coworking é o fato de ser um espaço de colaboração voltado para a inovação e com o apoio de curadoria especializada, que engloba a integração entre demanda, tecnologia e capital, para promover a inovação nos mais diversos segmentos. Uma oportunidade real para grandes empresas atuarem conjuntamente com startups já maduras em seus segmentos”, afirma Maurício.

O prédio do Habitat tem 10 andares e um rooftop, compondo 22 mil metros quadrados. O espaço conta ainda com um auditório para 150 pessoas, salas para ideação, design thinking e uma área para criação de conteúdos de áudio e vídeo para as startups, que terão o apoio de especialistas do Bradesco nestas produções. Por posição, as startups pagarão R$700, grandes empresas pagarão R$2.600 e parceiros tecnológicos do banco desembolsarão R$3.200 para ocuparem o espaço.

Foto: Egberto Nogueira

Toda a gestão do espaço físico do local é realizada pelo WeWork, uma rede global de coworkings presente em mais de 20 países. “Para nós é uma grande honra poder fazer parte de um projeto tão importante e com potencial de impacto social e econômico tão significativo quanto o Habitat. Além de passarem a fazer parte desse ecossistema, essas empresas de grande relevância também integram, a partir de agora, a comunidade global da WeWork”, declara Lucas Mendes, diretor geral da companhia no Brasil. A comunidade já tem mais de 200 mil membros ao redor do mundo, em 65 cidades.

Walkiria Marquetti, Diretora Executiva do Bradesco, fala sobre os objetivos do banco com o InovaBra Habitat:

Parceiros

Um dos pilares mais fortes deste novo empreendimento do Bradesco é a parceria estratégica com grandes companhias de tecnologia, que oferecerão às startups residentes do Habitat mentoria, curadoria de entrada e apoio à geração de negócio entre os “habitantes”. O segundo maior escritório do mundo do R3, consórcio mundial que reúne 43 bancos, está dentro do Habitat.

“É um ponto fundamental para que o Habitat atinja seu grande objetivo, que é o de gerar valor para todos os habitantes do espaço e, consequentemente, à sociedade, com a oferta de produtos e serviços que facilitarão a vida das pessoas”, destaca o vice-presidente.

No prédio recém-inaugurado, haverá ao longo de todo o ano uma intensa agenda de atividades ligadas à tecnologia e inovação, por meio de workshops, eventos, palestras e dinâmicas que promovam a coinovação. Já passou pelo espaço, por exemplo, Rebecca Liao, ex-assessora da Hillary Clinton e uma das exponenciais autoridades do assunto Blockchain. 

José Nilo, Gerente Geral na AWS, fala sobre a parceria da empresa com o InovaBra Habitat:

“Inovar de maneira colaborativa nos proporciona muito mais amplitude e agilidade para endereçar os constantes desafios das áreas de negócio do Banco. As corporações têm um dilema comum: investir internamente em inovação ou comprar tecnologias de outras empresas. Restringir-se a uma opção não é mais viável, o ideal é manter em equilíbrio essas duas forças”, finaliza Maurício.

 Algumas das companhias já residentes do espaço são Alelo, AWS, IBM, Microsoft e Oracle. Dentre as startups que já ocupam o Habitat estão Cuponeria, Direct Digital, EZTravel, Ideas Farm, IDWall, Qranio, Vérios e Zenklub. Para participar do InovaBra Habitat, acesse o site.