* Por Ana Amélia Ritt

O tom de voz faz toda a diferença. Um gesto também. Uma frase enviada pelo Whatsapp com ponto final é quase uma ofensa, assim como um “visualizado e não respondido”.

A linguagem vem passando por transformações e a forma como a interpretamos também. Conforme o coordenador dos cursos de Publicidade e Propaganda e Jornalismo da Univates, Flávio Meurer, a comunicação por si só busca construir a interpretação do pensamento do outro e, portanto, sempre haverá um residual de dúvida sobre o que a pessoa entendeu – seja sobre uma ação ou até pela ausência dela.

Para Meurer, a linguagem escrita, de forma isolada, é mais “seca”, pois não envolve gestos, tom de voz e expressões faciais. O significado de uma frase pode mudar completamente graças à entonação.

“Isso ocorre nas trocas de mensagens instantâneas. Como não percebemos o tom de voz ou expressões, as pessoas podem interpretar uma mesma frase de diferentes formas”, diz Flávio.

E então?

Para tornar a interpretação mais próxima da ideia transmitida, além da escrita, é possível utilizar outros recursos, como os emojis. “Eles são uma forma de dar conta dessa situação na tentativa de reproduzir a comunicação presencial”, afirma o professor.

Para ficar mais claro, confira o exemplo: João está conversando com Maria pelo Whatsapp. Para que Maria interprete a frase da forma como João deseja, ele utiliza, além da escrita, emojis, pois eles tornam o “papo” virtual mais próximo do real.

Ou seja, como a escrita foi pensada com a suposição de que a pessoa que emite a mensagem (no caso, João) está longe de quem a recebe (Maria), é necessário que se crie um cenário para mostrar exatamente o desejado – seja por meio de emojis, imagens, negrito, letra maiúscula.

Desde as cavernas

 

A escrita surgiu com o objetivo de deixar registrado o que as pessoas faziam. Sendo o mundo essencialmente imagético, ou seja, se expressa por meio de imagens, compreender os detalhes da linguagem pode significar interpretá-lo melhor.

Assim como a arte rupestre, os emojis possuem caráter icônico. Eles reproduzem em uma imagem real as qualidades de um objeto. Se :) é considerado um sorriso, é porque seus componentes lembram dois olhos e uma boca.

A comunicação simbólica, por outro lado, refere-se a uma convenção. Ou seja, um “combinado” entre a sociedade de que a palavra xícara, por exemplo, determina um objeto.

Você sabe a diferença?

Emojis são imagens e símbolos reais que são renderizados em dispositivos. Como os “rostos amarelos” do Whatsapp.

Emoticons são expressões criadas com os caracteres básicos do teclado. ;-)

Linguagem global

Os emojis tiveram ascensão em 2011, quando a Apple adicionou um teclado emoji ao seu sistema operacional iPhone iOS 5. O teclado era destinado apenas ao mercado japonês, mas os usuários de outros países ficaram sabendo da novidade e a Apple adicionou-o oficialmente a todos.

“Na legenda? Ah, põe um emoji”

A linguagem digital evoluiu de tal forma que em março de 2015, conforme o próprio Instagram, quase metade dos comentários e legendas continha caracteres emoji. Confira o gráfico:

#FicaaDica

  • Acompanhe em tempo real a utilização das expressões icônicas no Twitter: emojitracker.com/.
  • Uma “enciclopédia” dos emojis. Saiba quando foram implantados, suas diferenças e os casos em que são utilizados: emojipedia.org/.
* Artigo publicado originalmente na Revista Univates