* Por Pedro Clivati

Diferente do bitcoin e outras inovações tecnológicas, o conteúdo já dominou seu espaço como uma estratégia de marketing efetiva – e até mesmo superou as expectativas. De fato, ele se tornou cerne para a as principais estratégias online, como: inbound (conversão e nutrição de leads precisam de conteúdo), email marketing (utilizado para divulgar conteúdo), mídia paga (que aumenta a taxa de conversão e diminui o CPC quando direcionado para o conteúdo). É por isso que hoje não há mais dúvidas da proximidade de relação entre o marketing de conteúdo e a área de vendas da empresa. Mas quais são as principais tendências de marketing de conteúdo para o futuro próximo?

Assim como o crescimento do tráfego em sites com conteúdo de qualidade é exponencial, as novas tecnologias também são e elas irão impactar no jeito que produzimos conteúdo hoje. Para 2018, teremos diferentes tipos de tecnologia impactando a forma como fazermos marketing de conteúdo. Confira a seguir o impacto que você deve colocar no seu radar no que diz respeito a tendências de marketing de conteúdo para 2018!

1. UGC – User Generated Content

Uma das maiores tendências de marketing de conteúdo para este ano já começou a ser utilizada no ano passado com certa sutileza. Em 2018, a estratégia de utilizar os próprios leitores e usuários para produzir e promover conteúdos se tornará ainda mais popular. Afinal, as empresas de diversos portes e setores que adotam essa tática de criação de conteúdo e viram seus resultados aparecem de forma muito eficiente.

Motivos por trás da ascensão do User Generated Content:

  1. Diminuição de custos: ao utilizar colaboradores externos para produção de conteúdos você aproveita os recursos grátis que possui e diminui o seu custo de produção de novos materiais. Isso, por fim, impacta na diminuição do seu CAC.
  2. Variedade de pontos de vista: você traz um ponto de vista diferenciado para o seu canal de conteúdo, enriquecendo ainda mais a sua estratégia.
  3. Distribuição colaborativa: você automaticamente consegue mais compartilhamentos, pois a pessoa que produziu seu conteúdo faz sua parte na distribuição e compartilha esse conteúdo com sua própria rede de contatos.
  4. Aproximação do usuário: você aproxima ainda mais seus usuários e leitores da sua marca, gerando outras oportunidades de negócio, seja para venda, contratação ou parcerias e por fim, mas não menos importante
  5. Confiança da audiência: a confiança do leitor em um conteúdo é muito maior quando a informação vem de um outro usuário “neutro”, se comparada a publicidade tradicional.

Por esses motivos, além de ser uma das principais tendências de marketing de conteúdo para 2018, User Generated Content é, também, um hack de criação de conteúdo a ser levado para a vida.

2. Internet das coisas (IoT) – Home Assistant

A internet das coisas tem, cada vez mais, nos ‘libertado’ da necessidade de termos uma tela na nossa frente a todo momento. Gadgets como o Alexa da Amazon, o HomePod da Apple ou o Google Home, que têm uma infinidade de aplicações, começam a influenciar cada vez mais a forma como realizamos compras e, consequentemente, a forma como o marketing de conteúdo se comporta. É por isso que a IoT é, novamente, uma das maiores tendências de marketing de conteúdo para 2018.

A aposta é que a interação será cada vez mais através da voz ao invés da escrita. Portanto, os conteúdos também serão escutados ao invés de lidos! Claro que uma coisa não anula a outra, porém, a tendência é que outros formatos de conteúdo atraiam cada vez mais a atenção do consumidor (que deixa de ser leitor para se tornar ouvinte ou até membro da conversa, ao interagir com os conteúdos).

Exemplos dessas aplicações já acontecem na School of Marketing (com dicas de marketing) e até na Ask Stubb (que oferece dicas de molhos para churrasco).

3. O funil evolui para uma ampulheta

Houve tempos em que o conteúdo servia apenas para atração de visitantes. Posteriormente, descobriu-se que o valor dele poderia também servir durante a jornada de compra, tendo um papel ativo na nutrição de leads. O objetivo: abordar o potencial cliente no momento em que já está pronto para tomar a decisão de compra.

Já até escrevemos bastante sobre o funil do marketing e também como identificar o conteúdo certo para cada etapa do seu funil, caso esse termo não esteja claro para você, vale a pena conferir esses conteúdos. Atualmente, entendemos que o conteúdo faz parte de toda a jornada do consumidor e não apenas do seu início, sendo essencial também para a ativação, retenção, upsell e indicação do cliente.

O impacto disso para as empresas é claro: o marketing não é mais o único responsável pela estratégia de conteúdo. É por isso que a transformação do funil em ampulheta é uma das maiores tendências de marketing de conteúdo para 2018. Afinal, para continuar nutrindo o cliente após sua conversão, outras áreas da empresa entrarão no jogo. Isso mesmo: as áreas de pré-vendas, vendas, e suporte ao consumidor também participarão da jornada do cliente.

Aliás, note que continua sendo importante entender como funciona a jornada de compra do seu cliente, mas o termo deixa de ser jornada de compra e passa a ser jornada do cliente. Afinal, após a compra, o cliente já se encontra em um novo estágio de sua jornada e os seus objetivos com ele são outros. Entre eles, o principal é seu encantamento pela empresa e possível indicação para outros potenciais clientes. Os insumos para essa jornada virão desses mesmos times: pré-vendas, vendas e suporte – que, portanto, serão cada vez mais ativos  na produção de conteúdo com foco em seus clientes. Se você quiser começar a produzir conteúdo para o restante da sua ampulheta, sugerimos as seguintes leituras:

Enfim, por isso e mais, a figura do gestor do conteúdo se torna cada vez mais presente nas empresas de hoje. Apesar do mesmo ainda responder ao diretor de marketing, suas interações estão em todas as áreas da empresa e a necessidade de colaboração é geral.

4. Processo e gestão se tornam diferenciais competitivos

Em um cenário em que todas as áreas da empresa participam ativamente da construção e execução das estratégias de conteúdo, ferramentas de centralização e gestão se tornam cada vez mais necessárias. Elas atuam não apenas para diminuir o número de ferramentas utilizadas e aumentar a produtividade, mas para alcançar mais e melhores resultados através de insights, controle, geração de dados etc. Afinal, você possivelmente utiliza um CRM para seu time de vendas, uma ferramenta de Email Marketing ou Inbound Marketing para o time de marketing e uma ferramenta Financeira para o time administrativo. Mas e seu time de conteúdo? É hora de pensar nele também!

De qualquer forma, antes de escolher a ferramenta perfeita para dar o suporte que este profissional precisa, sugerimos começar pela compreensão do processo. Para isso, sugiro a leitura deste artigo que indica Como definir um fluxo de produção eficiente para sua equipe de marketing de conteúdo. Depois de definir esse fluxo, será mais fácil perceber onde se encontram os gaps que precisam ser preenchidos para que sua estratégia de conteúdo realmente gere os resultados que você busca. Caso precise de ajuda nesta etapa, entre em contato com um consultor da Contentools e tire suas dúvidas gratuitamente.

Em um cenário em que o conteúdo não é mais diferencial para as marcas, mas uma necessidade básica, empresas que irão se destacar serão as que dão a devida importância para a estratégia. Ou seja, conteúdo deixa de ser avaliado em questão de quantidade de publicações e número de palavras, e os esforços se voltam para a criação de conteúdos de qualidade que realmente estão de acordo com os objetivos da empresa.

Conclusão

A grande diferença entre um projeto e um processo é que, enquanto o primeiro possui um começo, meio e fim, o segundo é continuo e interminável. Como base para quase todas as estratégias de marketing (visitante>leads), de vendas (leads>ops) e de retenção (ops>clientes>advogados), o conteúdo deve ser encarado como um processo das empresas e não uma campanha ou projeto.

Com a consolidação da sua importância e significado, vejo um futuro presente com três pontos essenciais:

  1. Empresas de todos os portes possuem um Gestor de Conteúdo como parte fundamental em suas áreas de marketing.
  2. A produção do conteúdo também deixa de ser prioritariamente terceirizada através de em time externo de freelancers e passa a ser parte do processo de todas as áreas da empresa. Isso mesmo, nesse contexto, cada colaborador faz sua parte para uma estratégia mais efetiva.
  3. Os esforços são voltados para a criação de conteúdo mais assertivo, buscando engajar o público com o formato certo de conteúdo.

O resultado? Estratégias de conteúdo cada vez mais equiparadas com as devidas próprias de suas empresas em questão e qualidade acima de quantidade quando o assunto é conteúdo digital!


Pedro ClivatiPedro Clivati é cofundador e responsável pela expansão global da Contentools. Como evangelista de Marketing de Conteúdo, Pedro participou de conferências em toda America Latina, prestando consultoria a medias e grandes empresas sobre Marketing de Conteúdo, Inside Sales e Inbound Marketing.