O Facebook inaugurou hoje a Estação Hack, um centro de apoio à inovação com bolsas para cursos de programação, desenvolvimento de aplicativos e empreendedorismo digital, que irá ajudar a preparar os jovens brasileiros para as profissões do futuro. Além do pilar educacional, a Estação Hack abrigará startups que fazem uso intensivo de dados em suas soluções e que tenham potencial de gerar transformações positivas para a sociedade. Esse é o primeiro projeto deste tipo da empresa no mundo.

Os cursos e workshops serão ministrados por parceiros como: Mastertech, MadCode, Reprograma, JuniorAchievement e Centro de Empreendedorismo e Negócios da FGV (FGVcenn). A Artemisia, organização sem fins lucrativos, trabalhará com o Facebook no programa de aceleração de startups.

“O Brasil é um país muito importante para o Facebook e escolhemos lançar a iniciativa aqui como forma de retribuição. Com a Estação Hack, reforçamos ainda mais nosso compromisso com o desenvolvimento do Brasil, ajudando a formar jovens talentos na área de tecnologia, apoiando o empreendedorismo e estimulando a inovação”, destaca Diego Dzodan, vice presidente do Facebook e Instagram para América Latina.

Foto: Marco Torelli

Durante o evento de lançamento, que contou com a presença de diversas autoridades como Daniel Annenberg, Secretário Municipal de Inovação e Tecnologia e Aline Cardoso, Secretária Municipal do Trabalho e Empreendedorismo, foram apresentados alguns resultados de uma pesquisa encomendada pelo Facebook e  feita pela Morning Consult, que mostrou que 82% das micro e pequenas empresas no Brasil acreditam que as habilidades digitais são mais importantes na hora de contratar do que a escola onde alguém estudou. Para 85% delas, recrutar profissionais capacitados é considerado um desafio.

As aulas das primeiras turmas começam essa semana e por ano, serão oferecidas 7400 bolsas a jovens como Letícia Celestino de 20 anos. “Aprender uma linguagem de programação vai me abrir portas no futuro e gerar oportunidades na carreira”. A Estação Hack, localizada na Av.Paulista, representa o maior investimento já feito pelo Facebook na América Latina.

Foto: Marco Torelli

Além disso, 1o startups foram selecionadas para a primeira etapa de aceleração que acontece de janeiro a junho de 2018. Foram mais de 760 inscrições e as selecionadas oferecem soluções voltadas a empregabilidade de jovens e adultos de baixa renda, educação, engajamento cívico, serviços financeiros para inclusão ou educação financeira e microempreendedorismo.

Conheça abaixo as startups selecionadas:

Kunla – Plataforma que permite que mães possam trabalhar de maneira autônoma em suas próprias comunidades e gerar renda por meio da atividade de recrutamento e seleção de profissionais.

TAQE – Jogo que prepara as pessoas para o mercado de trabalho e oferece vagas de emprego que tenham a ver com o perfil do candidato.

Banco Maré – Startup social que oferece serviços bancários para regiões que normalmente não teriam acesso ao sistema financeiro.

SmartSíndico – App que ajuda síndicos e moradores de condomínios a fazer uma administração mais simples e econômicas.

Redação Online – Solução que viabiliza correções de redações preparatórias para ENEM, Vestibulares e Concursos com qualidade e em escala nacional com comentários detalhados, recomendações de reescrita e chat para conversar com professores e corretores.

Diaspora.Black – Plataforma de hospedagem focada em viajantes e anfitriões interessados em promover a cultura negra, com foco no empoderamento e fortalecimento econômico da comunidade.

YouTrendz – Rede voltada para venda, compra e compartilhamento com foco no micro e pequeno empreendedor. Funciona como um marketplace para exposição de produtos de forma gratuita.

Pluvi.On – Rede de estações meteorológicas proprietárias para gerar alertas antecipados e em tempo real para a população em relação a eventos climáticos extremos como enchentes e deslizamentos.

Muove – Identifica ineficiência nas finanças municipais e sugere ações de melhoria ao gestor público através de uma plataforma fechada.

Simbiose Social – Plataforma criada a partir de todos os dados públicos referentes a Leis de incentivo no País. De um lado a empresa otimiza a gestão do recurso e permite buscar projetos, de outro, o Sistema de Projetos empodera projetos sociais ao municiá-los com informações referentes ao perfil das empresas.

Foto: Marco Torelli

“Estar aqui é um orgulho porque são empresas que estão pensando de alguma forma em mudar o Brasil e melhorar a vida das pessoas, principalmente as de baixa renda. Ter um projeto do Facebook que pode nos ajudar a fomentar esse ecossistema é super importante e ficamos felizes com o impacto que esse programa vai ter na vida dos empreendedores”, comenta Rodolfo Fiori, Fundador da startup Muove.

Durante a abertura da Estação Hack, o Facebook também anunciou o lançamento do Projeto Cineasta 360, voltado a rede pública de ensino. As escolas ganharão equipamentos para a produção de vídeos usando a tecnologia 360º e os professores terão treinamento realizado em parceria com a ONG Recode, voltada ao empoderamento digital. No desafio, grupos de alunos competirão pelo melhor vídeo sobre questões relevantes de suas comunidades.