Alguns meses depois de levantar um investimento de bilhões de dólares para si, a WeWork acaba de liderar uma rodada de investimento de US$32 bilhões para a startup The Wing, um empreendimento de Nova York que atua em espaços comunitários apenas para mulheres.

A The Wing foi lançada por Gelman e Kassan em 2015 com o objetivo de além de servir como um espaço de coworking, empoderar os negócios sociais e as oportunidades de networking. Em seus espaços, a empresa hospeda diversos eventos, que vão desde festas de bonecas de papel até entrevistas com senadores.

O espaço oferece espaços para trabalho e alguns escritórios privados, e cobra uma taxa de adesão mensal de US$215, semelhante ao preço cobrado pelo WeWork, o que possibilitará que as residentes trabalhem em um dos escritórios da rede.

Hoje a startup conta com dois espaços em Manhattan e planeja abrir novos escritórios no Brooklyn e Washington no próximo trimestre. Parte do dinheiro arrecadado no investimento também será usado para a expansão para São Francisco, Los Angeles e, eventualmente, internacionalmente. “Nós conseguimos alcançar mulheres em Londres e Paris. Nós também recebemos essa semana um pedido de uma mulher na Letônia, por isso vamos focar na expansão do nosso negócio”, disse Gelman.

“Desde o momento em que visitamos o primeiro espaço da Wing sabíamos que havia algo especial”, destaca Jen Berrent, diretor de operações da WeWork, que irá se juntar ao conselho da The Wing. “A última vez que eu senti isso foi quando visitei o WeWork Soho, nossa primeira localização, ou quando o WeWork Labs estava em construção”.

Gelman afirma que está ansiosa para aproveitar essa conexão para aproveitar a experiência da WeWork em “construção, imóveis, desenvolvimento e infraestrutura”.

Fonte: Business Insider