O Spotify comprou a startup Soundtrap, um estúdio de música online baseado em Estocolmo, que permite que os usuários criem músicas em conjunto com outras pessoas em tempo real. “O negócio em rápida expansão da Soundtrap está altamente alinhado com a visão do Spotify de democratizar o ecossistema de música”, disse a empresa em comunicado.

Segundo informações do Breakit, o preço pago pelo Spotify foi de cerca de US$30 milhões. Isso se baseia em um aumento estimado de valor desde a rodada da Série A da Soundtrap de US$6 milhões no ano passado, que avaliou a empresa em US$25 milhões.

O CEO da Soundtrap, Per Emanuelsson, comentou o acordo para a Di Digital: “É fantástico! Estamos discutindo esse acordo por um tempo”.

O estúdio de música portátil da Soundtrap teve um volume de negócios de cerca de US$120 mil no ano passado, de acordo com a Di Digital, com as escolas como o principal grupo de clientes.

“Capturamos pessoas criativas que não gostam da complexidade do software de música normal. A simplicidade ajudou o serviço a atravessar as escolas”, disse Emanuelsson.

Desde a sua fundação em 2013, a empresa de 35 empregados arrecadou US$8,5 milhões em capital de risco, com a Industrifonden, a produtora de música Andreas Carlsson e os fundadores da agenda Truecaller como principais proprietários.

A Spotify fez nove aquisições desde o início de 2016. O maior negócio até o momento é o serviço de dados de música Echo Nest, que custou a Spotify cerca de US$60 milhões. A Soundtrap marca a primeira aquisição da Spotify na Suécia desde que comprou a lista de reprodução Tunigo em 2013.

Spotify diz estar preparando uma lista direta de ações na NYSE no primeiro ou segundo trimestre do próximo ano, disseram fontes da Reuters.

Foto: Daniel Ek, CEO e fundador do Spotify – Andrew Burton / Getty Images
Fonte: Business Insider