A House of Fintech, especialista em investir em fintechs no Brasil, fechou parceria com a Bossa Nova Investimentos – empresa referência em Micro Venture Capital na América Latina, liderada por João Kepler e Pierre Schurmann, que promete agitar o mercado de fintech no país. Essa estratégia visa criar uma potencialização nos negócios e investimentos no segmento de fintech.

O mercado de startups de fintech conta com mais de 300 empresas no Brasil e, visando esse mercado que só tende a crescer, a parceria entre House of Fintech e Bossa Nova busca investir em fintechs que já estejam consolidadas e com um produto ou serviço validado. “Estamos em busca das melhores empresas existentes no mercado. Que tenham fundadores 100% dedicados à operação do empreendimento. Fazemos parte de um ecossistema robusto, formado para gerar negócios e aumentar a tração das fintechs que são investidas” revela Rodrigo Mendes, CEO da House of Fintech.

Além de um investimento que varia entre R$1 milhão e R$4 milhões, as fintechs selecionadas terão todo acompanhamento e suporte necessário para solidar o seu negócio, como: eventos abertos e fechados para as fintechs, programa de intercâmbio, troca de experiência e network com outras fintechs e um centro de serviços compartilhados com jurídico, RH e financeiro.

Para João Kepler, sócio da Bossa Nova Investimentos, a parceria com a House of Fintech mostra um avanço para o ecossistema de investimento. O empreendedor acredita que esse é o melhor momento para se investir em fintech.

“Essa parceria vem para fortalecer e contribuir na consolidação do mercado de fintechs no Brasil. Já existem cases de sucesso no país que mostram a potência desse mercado. Só em 2016 foram investidos mais de U$$ 22 bilhões em fintechs no mundo todo. O crescimento é favorável e atrativo para quem quer investir em startups desse segmento” explica João Kepler, sócio da Bossa Nova Investimentos.

A parceria será lançada no dia 16 de Novembro e contará com a presença de investidores, mentores e parceiros da House of Fintech e Bossa Nova Investimentos.