As classes C e D agora já conseguem ter acesso a empréstimos pessoais, de até R$ 4 mil, diretamente pelo celular. A Noverde, que idealizou o negócio, acaba de receber seu segundo investimento, o primeiro de um fundo de Venture Capital, da DOMO Invest – Asset Management de Venture Capital. O aporte foi acompanhado pelos seus atuais investidores-anjo. A startup nasceu no ano passado para viabilizar empréstimos pessoais com parcelamento em até 12 vezes.

“Com a chegada desse investimento significativo, seremos capazes de gerar mais volume em termos de concessão de empréstimos a pessoas físicas de forma digital e por meio de um mecanismo absolutamente simples pelo celular. Sabemos que a base de nossa pirâmide econômica ainda carece de produtos financeiros adequados à sua realidade e estamos aqui para suprir uma dessas demandas. Encontramos na DOMO Invest o investidor ideal para nos apoiar em nosso próximo ciclo de crescimento”, destaca o sócio fundador da startup afirma, Eduardo Teixeira.

A Noverde é uma fintech inclusiva, que visa promover o reequilíbrio financeiro por intermédio de uma experiência positiva de empréstimo, sem burocracia, de até R$ 4 mil. Com o aplicativo da startup, disponível de forma gratuita no Google Play, o consumidor só precisa preencher um cadastro simples para ter seu crédito analisado em tempo real.

Uma vez pré-aprovado, o cliente deve disponibilizar seus documentos (100% online) e, em até dois dias, o empréstimo será disponibilizado em sua conta bancária (conta corrente ou poupança), com juros menores do que os praticados pelo mercado para essa classe da população. O pagamento do empréstimo pode parcelado em até 12 vezes e todo o relacionamento é feito pelo celular, assegurando a melhor experiência aos clientes e trazendo segurança na operação.

“A presença de um investidor com o perfil da DOMO Invest nos ajudará a consolidar nosso posicionamento com o nosso cliente. Com habilidades complementares, teremos ainda mais capacidade de melhor estruturar as ofertas de crédito, de maneira adequada e responsável, redesenhando toda a experiência do cliente”, completa Bernardo Luca, cofundador da Noverde.

Focada exclusivamente na concessão de credito a esse público, a Noverde oferta ao consumidor uma experiência de empréstimo positiva, aliando muita agilidade na concessão de empréstimos pessoais com um processo de cobrança extremamente customizado. Para garantir a máxima segurança e prevenir eventuais fraudes, a startup combina tecnologia e inteligência. Por exemplo, no processo de cadastro, o cliente envia uma selfie, que é submetida a programas de reconhecimento facial. O sistema também envia os dados do celular e sua geolocalização, tornando possível cruzar essas informações com os dados de endereço enviados pelo usuário. Dentre outras inúmeras variáveis utilizadas para realizar a análise de crédito e do perfil do consumidor.

“O mercado de fintechs está aquecido e acreditamos nesse potencial. Por isso, decidimos começar com esse investimento na Noverde, cuja aderência à realidade brasileira, para essa parcela carente da população, se mostra promissora. No total, investiremos até R$ 100 milhões nesse novo fundo nos próximos anos”, explica Rodrigo Borges, um dos sócios da DOMO Invest.

Para compor seu fundo de VC, a DOMO Invest procura startups early stage, brasileiras, de cunho tecnológico e com focos de atuação B2C e B2B2C. O intuito é apoiar os empreendedores, nesse estágio de negócio no qual já provaram a aceitação mínima de seu público-alvo, e aportar mais do que somente recursos financeiros, aporte de Smart Money. Com a união de investimento e inteligência, os sócios e gestores da Asset Management são capazes de acelerar o crescimento das startups investidas com foco no médio e longo prazo.

Todo o coaching da DOMO Invest está pautado em contribuições com conhecimento de mercado, estratégias de crescimento inovadoras, desenvolvimento de produtos, estruturação de times ágeis, acesso a novos clientes, fornecedores e funding para as próximas rodadas. Esse conjunto de conhecimentos e qualidades faz parte da rotina dos sócios da gestora.

Seu surgimento se deu a partir de investimentos em startups de seus sócios desde 2005 e do portfólio montado em conjunto a partir de 2012, que conta com startups de destaque no cenário nacional, a exemplo de Gympass, Hotmart, entre outras. Seus sócios têm histórico empreendedor e executivo com vasta experiência em M&A e Mercado de Capitais, buscando contribuir para a profissionalização do mercado de Venture Capital no Brasil. A gestora conta ainda com cerca de R$ 200 milhões sob gestão em fundos e carteiras administradas.

“A Noverde apresenta time bem complementar e com tração de negócios bem acelerada. Acreditamos muito no potencial da startup, que, além de tudo, é inclusiva e focada na maior fatia de população economicamente ativa”, finaliza o também sócio fundador da DOMO Invest, Gabriel Sidi.

As classes C e D já são conectadas pelo celular, têm gosto por plataformas tecnológicas e investem na compra de aparelhos com possibilidade de uso de aplicativos (smartphones). Dessa forma, a existência de uma ferramenta como a da Noverde se torna viável e apresenta grande tração diante de seu mercado-alvo.