Exclusivo, direto de Israel: A convite do Consulado de Israel, participamos do Start Jerusalem, uma semana de imersão conhecendo diversas empresas, startups e o tão famoso ecossistema israelense junto com startups de mais de 30 países. Jerusalém, por exemplo, possui 5500 startups que já receberam 1 bilhão de dólares em investimento.

Israel também está no topo da lista, ao lado da China, com o maior número de empresas com capital na bolsa americana NASDAQ. O país é um dos líderes globais em alta tecnologia, atuando no desenvolvimento de softwares, comunicações e ciências da vida. E para entender o sucesso de Israel como capital da inovação, é preciso voltar à raiz dessa história. No vídeo abaixo, Danny Biran, Vice Presidente na Divisão Internacional da Autoridade de inovação de Israel, explica um pouco da razão do sucesso de Israel.

Durante uma semana visitamos diversas empresas e conhecemos algumas iniciativas de fomento ao empreendedorismo que estão colaborando para o fortalecimento das startups do país. Conheça abaixo:

PICO Partners – Um Venture Capital que possui diversos programas e iniciativas voltadas para empreendedores que trabalham para transformar a forma como vivemos, trabalhamos e enxergaremos o mundo nos próximos anos. Conversamos com Elie Wurtman, que conta com mais de 25 anos de experiência como empreendedor, investidor e executivo, que afirma que crescimento rápido e escalável é primordial, e é uma das primeiras coisas que levam em consideração na hora de investir em uma startup.

“Com os mercados cada vez mais polarizados, ser o primeiro não é mais uma garantia de sucesso. Uma vez que o market-fit é validado, os fundadores devem conseguir ampliar rapidamente sua capacidade operacional. O trabalho duro é excelente, mas o segredo da escala está funcionando de forma inteligente”, destaca Elie.

Elie também explica que mais importante do que o capital oferecido para os empreendedores, o objetivo do Pico é proporcionar para as startups conexões e mentorias que realmente façam a diferença para seus negócios. Para isso, o grupo conta com o PICO Spaces, espaço de coworking localizado em Jerusalém e Tel Aviv, o que gera oportunidade de colaboração entre as empresas do portfólio.

Enquanto auxiliamos as startups a prepararem seu produtos para o mercado e a criarem uma infraestrutura de rápida expansão, conectamos os fundadores com a nossa rede de negócios global”.

Uma das iniciativas do grupo que chamou a atenção foi o Pico Kids, que tem como objetivo enriquecer e fortalecer a educação de ciência da tecnologia, empreendedorismo e matemática usando a aprendizagem criativa tanto nas escolas como nos programas pós-escola. “Além de seu conteúdo acadêmico, a PICO Kids quer educar as crianças para pensar fora da caixa, no desenvolvimento de suas habilidades de pesquisa e apresentação e na construção de uma conscientização social para o mundo ao seu redor”.

Entre os tópicos desenvolvidos durante o processo estão: Impressão 3D, robótica e encontros com cientistas da Universidade Hebraica de Jerusalém para o desenvolvimento de experimentos.

No vídeo abaixo, Elie Wurtman fala um pouco mais sobre a iniciativa do Pico Group e seu interesse em parcerias com o Brasil.

OurCrowd -Uma das plataformas líderes de crowdfunding para investir em startups globais, liderada pelo empreendedor em série Jon Medved. Profissionais da plataforma analisam milhares de empresas por ano e após um processo detalhado de diligência, selecionam oportunidades para compartilhar com a comunidade de investidores da OurCrowd. Ao alavancar a sua extensa rede, a plataforma pode identificar e acompanhar as empresas de forma proativa, obtendo acesso a rodadas de investimentos fechadas para outros novos investidores. A OurCrowd investe seu próprio capital junto com seus membros credenciados em todas as empresas.

Além do investimento inicial, a plataforma apoia seu portfólio de empresas com um amplo desenvolvimento de portfólio e sua comunidade de investidores global bem conectada, chamada de OurNetwork, projetada para ajudar as empresas multinacionais a apoiar, colaborar e investir em startups. Os membros desempenham um papel positivo no desenvolvimento de startups, em diferentes estágios e setores com financiamento e colaboração pós-investimento em parcerias estratégicas. A OurNetwork é composta por empresas multinacionais, empresários, investidores e instituições globais como: Honda, Intuit, Wix, Sales Force, Autodesk e SAP.

A OurCrowd conta com mais de 20 mil investidores credenciados, já arrecadou US$500 milhões, 130 empresas foram criadas, 7 mil startup foram analisadas e seu portfólio conta com empresas de diversos segmentos: Fintech, Mobilidade, Cyber segurança, Internet das Coisas, entre outras.

No vídeo abaixo, Jon Medved, CEO da OurCrowd, destaca o que leva em consideração na hora de investir nas startups.

E você sabia que o prefeito de Jerusalém também é um empreendedor? Após seis anos no exército, ele começou a sua carreira na área de alta tecnologia fundando uma companhia de softwares e entrou para a política em Janeiro de 2003. Confira abaixo seus planos e ideias para promover o empreendedorismo na cidade.

Outro programa que existe em Israel é o MassChallenge, considerada a aceleradora mais startup friendly do mundo. O motivo? Ela investe em startups de todos os setores, de qualquer lugar do mundo sem pegar participação na empresa.

Ao todo, 1211 startups já passaram pelo processo de aceleração, 65 mil postos de trabalhos foram gerados e mais de US$2 bilhões foram investidos gerando US$ 900 milhões em receita. O programa de quatro meses inclui mentoria com experts do ecossistema, espaço de coworking, a chance de conseguir US$2 milhões em investimentos ao final do programa e acesso a rede global da aceleradora, que também está presente em Boston, Suíça e México. O programa com duração de quatro meses em Israel funciona de junho a outubro e aceita startups early stage que realmente causem um grande impacto na sua indústria ou no mundo.

Saiba mais detalhes da iniciativa com Israel Y. Ganot, Managing Director na MassChallenge Israel, que está aguardando por startups brasileiras no programa.

WeWork – O espaço, que inaugurou sua primeira sede no Brasil na região da Av. Paulista este ano, acaba de abrir no seu escritório em Tel Aviv, um centro de inovação de hardware com mil metros quadrados para oferecer aos empreendedores, empresas, inovadores sociais e criadores acesso a ferramentas de ponta para ajudá-los a trazer vida a produtos físicos inovadores.

Além disso, o espaço, chamado de Impact Labs, permitirá aos membros agendar facilmente sessões com outros membros do espaço, a fim de ensinar e aprender com os conhecimentos uns dos outros. “O WeWork é apaixonado e comprometido com criadores de todo o mundo, e essa parceria com Reut, organização sem fins lucrativos focada na criação e escalação de modelos efetivos para trazer o Impact Labs para o WeWork reflete muito isso”, disse Benjy Singer, Gerente Geral da WeWork Israel. “Estou confiante de que os produtos criados no Impact Labs não só terão um impacto profundo no mundo, mas este espaço servirá como um modelo para projetos similares que avançem, tanto aqui em Israel como em todo o mundo”.

O laboratório também abriga duas outras Iniciativas do Grupo Reut: TOM: Tikkun Olam Makers e XLN. A TOM, é um movimento global que conecta pessoas com deficiência e os idosos com “Makers”, designers, desenvolvedores e engenheiros para desenvolver soluções para seus desafios diários. A TOM vai hospedar “Makathons” no espaço focado na criação de produtos que melhorarão o dia a dia das pessoas com deficiência física, enquanto a XLN usará o Impact Labs para treinar professores e estudantes de diferentes idades sobre como usar a tecnologia “maker”.

Conheça mais detalhes sobre o espaço no tour abaixo:

Um fato curioso é que Israel investe 4.3% do PIB em Pesquisa e Desenvolvimento, um dos mais altos do mundo. As autoridades oferecem apoio e criaram inclusive o Tnufa, programa de Incentivo para apoiar empreendedores nas provas de conceito e viabilidade comercial de seus projetos e o Magnet, que dedica-se ao estabelecimento de uma infraestrutura tecnológica para a próxima geração e a criação de um reservatório tecnológico cooperativo – contendo uma combinação de conhecimento do setor industrial e do mundo acadêmico. Outra iniciativa que chamou a atenção foi a QueenB, um programa social estabelecido por estudantes para incentivar a entrada das mulheres no mundo da programação.

Alfredo Cavalcante, CEO da UpFish, uma plataforma de inteligência para a aquicultura, startup escolhida para representar o Brasil em Jerusalém, também passou por uma semana de imersão no ecossistema e destacou dois pontos sobre Israel: pensamento global e colaboração. Confira no depoimento abaixo um pouco da experiência do empreendedor e as lições que ele levará para o Brasil.

Cometemos um erro ao relacionar quase que automaticamente Israel com deserto, conflitos étnicos e militares, clima de tensão, pois apesar de tudo, o país possui uma cultura vibrante. Tel Aviv surpreende a todos com suas praias, pessoas descoladas e vida noturna que pode ser comparada com São Paulo. Na cidade é possível trabalhar para o Google, Facebook, Paypal, Qualcomm, Intel, Microsoft, e centenas de outras gigantes.

Para finalizar, confira o depoimento de Ze’ev Elkim, Ministro dos Negócios Estrangeiros, sobre a iniciativa do Start Jerusalem e sobre as oportunidades de negócios existentes no país.

Para assistir mais depoimentos direto de Israel clique aqui.