*Por Vinicius Andrade

Há algum tempo vi uma palestra do Walker Willians, fundador da Teespring, uma empresa que possibilita que qualquer pessoa lance produtos no mercado, sem custos ou riscos, e realize a venda no modelo de crowdfunding, parecido com o que fazermos aqui no Brasil.

A Teespring é uma empresa que admiro muito, mas ainda é pouco conhecida em nosso país, mesmo sendo uma das startups com mais evidência nos Estados Unidos, e que já foi  investida por fundos renomados como Andreessen Horowitz, Khosla Ventures e Y Combinator.

Em sua apresentação, Willians contou um pouco sobre o início das operações e todos os aprendizados que teve ao longo dos anos. Mas o que mais me chamou a atenção foi o modo como ele descreveu que as atividades internas eram executadas. Eles faziam coisas que realmente não seriam sustentáveis, caso a empresa viesse a crescer, como por exemplo executando alterações sistêmicas por solicitação de um único cliente.

O mais interessante, porém, é que realizando essas atividades eles obtiveram um ciclo melhor e mais rápido de aprendizado e conseguiram desenvolver o negócio de maneira mais eficiente, colocando o modelo de negócios na mente dos usuários e inserindo uma plataforma de e-commerce disruptiva no mercado.

Assim, eles puderam perceber que ao fazer atividades que não são escaláveis no longo prazo torna-se possível:

  • Dar feedbacks diários sobre a plataforma por meio de contatos constantes com os usuários, focando no crescimento do engajamento e não em implementações. Falar com os usuários é a melhor maneira de identificar os pontos que realmente incomodam, e assim fazer um loop de melhorias, por meio dos padrões identificados.
  • Transformar usuários em campeões, o que significa fazer literalmente um serviço de concierge, até que um dia você não precise estar mais lá para que os usuários estejam engajados e ativos na plataforma. Com isso, os usuários não irão apenas usar o serviço, mas passarão a ser os verdadeiros defensores dele (advocate marketing), fazendo o papel de concierge por você.
  • Bancar insatisfações ou trocas sem questionamento de produto para que o cliente possa ter a melhor experiência, compensando possíveis problemas de plataforma ou processos por uma incrível proximidade com o consumidor.

Percebam, com essas ações é possível ter a real visão do seu negócio e se estão realmente atingindo o fit de mercado necessário. E mudando esses processos, a equipe da Teespring pode acelerar o desenvolvimento tecnológico e adaptar a plataforma para os usuários mais rentáveis, colocando em prática as alterações de maneira mais rápida, identificando o que funciona ou não.

Então vejam que fazer coisas que não escalam dá muito trabalho, requer uma dose extra de paciência e principalmente um pensamento extremamente positivo de que é uma etapa para o crescimento da startup. Tenha paixão pelo que está fazendo e acredite mais do que os outros. Esse pode ser o seu diferencial.


Vinícius Andrade é CEO da Vesteer, maior plataforma de criação, venda e distribuição de produtos personalizados em todo o Brasil.