Para fomentar ainda mais o ecossistema de startups no Brasil, a ABStartups, entidade que representa o segmento, e a Accenture, empresa líder global em soluções e estratégia de negócios, com o apoio do Startupi, estão finalizando a Radiografia do Ecossistema de Startups Brasileiras (RESB), e mostraram alguns insights do resultado durante o CASE 2017.

“Queremos que essa pesquisa seja a fotografia do nosso ecossistema para que as empresas, imprensa, aceleradoras e investidores usem esses resultados como fonte de informação”, destaca Amure Pinho, presidente da Associação Brasileira de Startups.

Guilherme Horn, líder de inovação da Accenture, comentou que a companhia sempre fez parcerias com grandes empresas, mas eles perceberam que a inovação saiu das grandes e passou para as startups, por isso eles quiseram se aproximar e inclusive, apoiar a pesquisa para ajudar a fomentar o ecossistema e ajudar os empreendedores.

“A pesquisa também fará com que os novos empreendedores não cometam os mesmos erros dos empreendedores de quatro anos atrás, o que é muito importante para acelerar o desenvolvimento dos negócios”, afirma Rafael Ribeiro, Gerente Executivo da ABS.

O estudo nacional contou com a participação de mais de 1 mil startups ativas em todos os estados do Brasil em todos os estágios de desenvolvimento e tem como objetivo mostrar como está a capacitação de recurso dividida por estado, momento das startups, como está o ecossistema em relação a mão de obra e muito mais.

Confira alguns dados apresentados durante o CASE

  • Os principais modelos de negócios são: SaaS, Marketplace e E-commerce;
  • O mundo das startups no Brasil ainda é predominantemente masculino; quase 40% das empresas respondentes são formadas exclusivamente por homens;
  • As maiores dificuldades das startups estão ligadas com Engajamento, Marketing e Precificação;
  • Os componentes mais importantes para o sucesso das startups são: Pessoas, Mercado Consumidor e Investimento;
  • Os principais parceiros de colaboração para as startups são: Sebrae, Universidades, Mentoria com Executivos e Empresas de tecnologia;
  • 83% das startups em operação acreditam que nos próximos 3 anos o investimento no Brasil vai aumentar;
  • 90% das startups acreditam que o grande problema nos próximos 3 anos será a contratação de mão de obra;
  • 10% das startups em todas as fases acreditam na melhora do Governo para o cenário de startups nos próximos 3 anos;
  • Funding com capital dos próprios sócios é a principal fonte de recursos das startups em todos os estágios;

O Startupi é o parceiro de mídia oficial da pesquisa e conversou com Amure Pinho sobre os detalhes do mapemaneto, confira!

A publicação final da Radiografia com o mapeamento detalhado acontecerá no início de 2018, fique ligado no Startupi e acompanhe as novidades.