Hoje a PayPal – uma das maiores fintechs do mundo – anunciou o lançamento da pesquisa, realizada pela MindMiners, que traça o perfil e o comportamento dos empreendedores brasileiros e dos que ainda querem empreender. A fase de coleta do estudo foi dividida em duas etapas: a primeira, com 300 pessoas que já empreenderam. A segunda, com respondentes que têm vontade de empreender algum dia. Participaram da pesquisa pessoas de todas as partes do país.

O estudo foi realizado entre os dias 31 de agosto e 11 setembro de 2017 e contou com participantes da base exclusiva da MindMiners, empresa especializada em pesquisa digital – reunida na rede social de opinião MeSeems.

“Pesquisas como esta são fundamentais para que possamos conhecer melhor as razões que levam as pessoas a empreender. Como uma companhia que investe constantemente para fortalecer o e-commerce e facilitar a vida de quem compra e vende produtos e serviços, o PayPal  viu com ótimos olhos o fato de sua plataforma de pagamentos eletrônicos ser citada por tantos brasileiros que já fazem parte desse universo”, diz Thiago Chueiri, diretor de Desenvolvimento de Negócios do PayPal Brasil.

Thiago Chueiri (esq.), Daniele Almeida e Gustavo Carrer

Para Danielle Almeida, gerente de marketing da MindMiners, o objetivo da pesquisa é servir como fonte importante de informação para todos os stakeholders envolvidos com o universo do empreendedorismo.”Conhecer os motivos que levam homens e mulheres a investir (ou não) no sonho do próprio negócio é fundamental para que possamos desenvolver soluções mais eficientes e auxiliar esses brasileiros a alcançarem o sucesso. Isso passa pela necessidade de conhecer bem o processo de criação de uma nova empresa, desde a fase da ideia até sua abertura efetiva. Compreender as dores e desafios de cada uma dessas etapas cria uma série de oportunidades para quem deseja atuar junto a esse mercado e contribui para o desenvolvimento de um país economicamente mais dinâmico”.

Confira abaixo alguns dos dados mais relevantes do estudo:

Quem já empreende

Dentro dos filtros criados para esta etapa da pesquisa, todos os respondentes deveriam já ter empreendido e ainda possuir um negócio próprio.

Detalhes da amostra

 

Menos da metade dos empreendedores entrevistados possuem sócios em seus negócios. Porém, quando o assunto é encontrar um bom parceiro para tocar o negócio, mais da metade dos entrevistados que já têm empresa (51%) escolheram familiares como sócios, seguidos dos amigos (29%).

De acordo com a pesquisa, o conceito de multicanal vem movendo grande parte dos empreendedores. Cerca de 42% dos entrevistados afirmam ter loja física e online, enquanto 38% dizem ter apenas a versão física e outros 20% apenas a versão virtual.

Quanto ao modelo de negócio, 34% investiram em uma empresa B2C. Já 24% vendem para o varejo; 8% são marketplaces; 7% são B2B; e apenas 3% focam na exportação. Segundo dados do MDIC, em 2016, quase 5 mil empresas exportaram produtos, o que representa um crescimento de 150% em relação ao ano anterior.

19% dos entrevistados afirmam que não investiram nada no início da empresa, e a maioria (39%) diz ter colocado pelo menos R$ 10 mil do próprio bolso. Cerca de 13% investiram entre R$ 11 mil e R$ 20 mil; 12%, entre R$ 21 mil e R$ 50 mil; e 8% entre R$ 101 mil e R$ 500 mil.

Considerando o período entre a idealização da empresa e sua abertura oficial, 56% dos pesquisados pela MindMiners garantiram que o processo levou menos de um ano; outros 21% disseram que levou entre 1 ano e 3 anos; 15%, entre 3 anos e 5 anos; e 8%, mais de cinco anos.

Entre os medos mais recorrentes, ter de fechar a empresa porque ela “não deu certo” é um cenário que assusta 52% dos entrevistados; outros 38% temem não conseguir um investidor para ajudar a alavancar o negócio; e 21% têm medo de entrar em atrito com os sócios e/ou parceiros.

Cerca de 28% dos pesquisados afirmaram que, se recebessem uma boa oferta de emprego, deixariam a empresa própria de lado; outros 43% não abandonariam a empreitada. E 61% concordam que o sucesso do negócio depende deles mesmos – mais do que qualquer outra pessoa envolvida.

Na hora de buscar ajuda externa para tocar a empresa, 51% dizem ter procurado orientação no Sebrae; 21%, na associação do setor de sua atuação; e 20%, em órgãos relacionados ao governo, universidades e faculdades. Incubadoras e aceleradoras representam apenas 10% das respostas.

Os desafios administrativos são discutidos com amigos e familiares (39%), sócios (37%) e com parceiros (30%). Grupos de empreendedores e investidores representam 13% e 17% das respostas, respectivamente.

  Quem ainda quer empreender

A segunda etapa do estudo sobre empreendedorismo foi realizada entre os dias 4 e 9 de setembro de 2017, também com uma base de 300 respondentes, por meio da base exclusiva da MindMiners. Estes nunca empreenderam, mas pretendem abrir o próprio negócio.

Entre aqueles que ainda não se decidiram pela aventura do empreendedorismo, a MindMiners descobriu que 66% pretendem ter negócio próprio para poder ter mais liberdade e autonomia em suas vidas. Dos entrevistados, 61% são homens e a mesma porcentagem tem idade entre 18 e 24 anos, os chamados Millenials.

20% dos futuros empreendedores pensam em criar uma empresa de tecnologia; 17% ainda estão em dúvida sobre o setor de atuação; 11% pensam em abrir um comércio ou um restaurante/bar/lanchonete; e 7% responderam que pretendem abrir uma empresa de engenharia.

51% querem ter loja física, além de um e-commerce; 20% garantem que terão somente espaços físicos; e 10% pensam em empreender apenas no mundo online.

Quando questionados se já têm conhecimento sobre o setor em que pretendem atuar, 52% responderam que não. E 68% ainda não investiram em nenhuma pesquisa de mercado. Este último item é inversamente proporcional quando a pesquisa questionou os já empreendedores: 67% deles investem em pesquisas para conhecer o consumidor.

22% deles dizem ter até R$ 10 mil para investir em um negócio próprio; 44% ainda não sabem quanto terão para gastar; e 9% dizem ter em caixa entre R$ 21 mil e R$ 50 mil para tornar a empresa realidade.

O que mais atrasa a tomada de decisão para abrir o negócio próprio? Para 49%, a falta de capital; outros 18% citam a falta de conhecimento sobre empreendedorismo; 14% dizem não ter tempo; e , por fim, 12% se dizem inseguros para tomar a decisão.