O Google e a Cisco anunciaram hoje uma nova parceria para ajudar seus clientes a construir soluções de nuvens híbridas mais eficientes. Não surpreendentemente, dado o foco recente do Google, esta parceria se concentra em torno da ferramenta de orquestra de contêineres Kubernetes incubada com o Google, bem como a malha do serviço Istio para conectar e proteger micro serviços em nuvem.

“O Google Cloud e a Cisco estão empenhados em conhecer os clientes onde quer que estejam em sua jornada para a nuvem”, disse Diane Greene, CEO da Google Cloud, no anúncio de hoje. “Esta parceria permite que desenvolvedores e departamentos de TI aproveitem de forma transparente as ferramentas mais abertas e seguras para a construção de aplicativos modernos em um ambiente híbrido”.

Tal como acontece com tantos anúncios de parceria, especialmente no espaço empresarial, as empresas permaneceram muito vagas quanto ao que exatamente será a solução, mas a Cisco e o Google disseram que a ideia geral é ajudar a trazer o poder da nuvem para os ambientes da empresa em seus locais.

Ambas as equipes sublinharam que uma solução multi-nuvem para as empresas deve incluir suporte para a segurança, configuração e requisitos de políticas das empresas, bem como a capacidade de obter dados de rede e desempenho em tempo real.

“Você quer levar suas capacidades de rede e segurança com você”, disse Fabio Gori, diretor sênior de marketing em soluções de nuvem da Cisco. “Você quer ser livre para usar micro serviços onde quer que esteja”.

O Google também observou que a Apigee, a empresa de gerenciamento de API que adquiriu no ano passado, será a cola que permitirá que as cargas de trabalho legacy se conectem às aplicações mais modernas que os desenvolvedores trarão para esta solução. Na verdade, tanto o chefe da Gori como o líder global de tecnologia da Google Cloud, Nan Boden, disseram que é importante que ambas as empresas garantam que sua solução ofereça suporte a aplicativos legados.

Para a Cisco, isso significou otimizar a Kubernetes para suas ferramentas de centros de dados e permitir que seus usuários usem seus serviços existentes em conjunto com esta nova solução. Equipes de ambas as empresas já passaram os últimos meses trabalhando na tecnologia por trás desta nova parceria e o plano é lançá-lo para um número limitado de clientes na primeira parte do próximo ano, com disponibilidade geral prevista para o segundo semestre de 2018.

Fonte: TechCrunch