A Fintech Vindi, plataforma de pagamentos online focada na indústria de serviços, acaba de anunciar a rodada de R$5,8 milhões de investimentos, vindo do fundo Criatec2, gerido pela Bozano Investimentos e mira novas aquisições.

Fundada em 2013, a Vindi é líder na solução de pagamentos no segmento de assinaturas, planos e mensalidades no país. A empresa, liderada por ex-executivos do Itau e por engenheiros de software, planeja uma expansão forte para o e-commerce e para a transformação digital de grandes empresas nos próximos anos.

A empresa atua forte na automação de recebimentos de diversos tipos de clientes do varejo e do setor de serviços. Com mais de centenas de diferentes integrações com bancos, operadoras de cartões e soluções financeiras, a Vindi potencializa diversos tipos de negócios. “Parte do nosso crescimento é por que mantemos nossa identidade em não depender de exclusividades de bandeiras de cartões, credenciadoras e soluções de bancos. O cliente decide por onde e como ele quer vender”, afirma Rodrigo Dantas, fundador e CEO da empresa.

Subscription Economy e Software as a Service

A economia da recorrência e o software como serviço (saas) são grandes catalizadores do negócio da Vindi, já que metade do negócio e resultado da empresa, vem de empresas com modelos de assinaturas/saas. Essa é inclusive, a maior motivação para a abertura de capital da Zuora, benchmarking da Vindi e líder para negócios recorrentes no mercado americano, que planeja abrir o IPO em breve.

De acordo com a Gartner, em 2020 80% das empresas de tecnologia vão gerar receita através de assinaturas. Esse é inclusive o tema chave para as principais discussões de distribuição de softwares no mundo.

1,5 bilhões de pagamentos processados e fome de aquisições

A Vindi possui uma plataforma de processamento de pagamentos que vai atingir R$1,5 bilhões de volume transacionado nesse ano e já desponta com uma das maiores empresas do setor no país. Atendendo clientes como Multiplus, Editora Abril, Thomson Reuters, VivaReal, Movile e algumas das startups que mais crescem no país, a empresa possui o maior gateway de pagamento independente do Brasil, já que outros players foram comprados pelos adquirentes (credenciadoras de pagamento).

Não usual, para o setor, a fintech acumula em 4 anos de vida, 3 aquisições na sua história.  Começando pelo subadquirente Aceita Fácil (2016), o SaaS de notas fiscais (Fast Notas) também em 2016 e por último, seu principal concorrente, o Smartbill (em junho desse ano). “Parte da estratégia dessas aquisições é complementar ainda mais a oferta da Vindi para outros segmentos e setores”, ressalta Dantas.

Com a entrada do novo aporte, a empresa planeja para os próximos dias uma nova sede para acomodar cerca de 80 colaboradores, fazer investimentos em tecnologia, crescimento, aquisições de outras fintechs e se preparar para a regulamentação de pagamentos que forte à frente.