No início deste ano, uma onda de ciberataques atingiu grande parte do mundo e companhias de mais de 170 países foram vítimas, entre elas, hospitais e órgãos do governo. O WannaCry, ransomware que causou uma crise mundial e afetou milhares de computadores, está longe de ser um caso isolado.

No fim do último ano, um ataque parecido atingiu as linhas de metrô de São Francisco, nos Estados Unidos. O vírus deixou pontos de venda de tickets inoperantes e exigiu o pagamento de resgate em bitcoins para devolver a operação ao metrô. Enquanto isso, as catracas do metrô foram liberadas gratuitamente para os usuários.

Um estudo do governo americano identificou que, em 2016, 60% das pequenas e médias empresas fecharam as portas após um ataque por não conseguir se recuperar do prejuízo. Uma pesquisa recente da Forrester também mostrou que mais de 60% dos empresários brasileiros estão preocupados com a violação de dados de seus clientes. Casos como estes mostram a importância das empresas estarem protegidas também nos ciberespaços.

marcos cavinato segurança da informação

Foi aí que o consultor de segurança Marcos Vinicius Cavinato encontrou uma oportunidade. Devido a falta de bons cursos nesta área e com conteúdo em português ele criou, em agosto deste ano, a SegInfoBrasil, para oferecer cursos de qualidade voltados à Segurança da Informação.

De acordo com ele, esta área é uma das poucas que apresenta “desemprego negativo”. “Isso significa que as empresas não só tem mais vagas do que a quantidade de candidatos, mas também estão contratando profissionais que elas sabem que não são qualificados o suficiente e mesmo assim precisam preencher as vagas”, explica. Marcos diz que até 2020 serão mais de 180 mil vagas de segurança da informação sem profissionais qualificados no mercado.

A empresa oferece o “Curso de Segurança em Redes de Computadores”, que combina Segurança da Informação com Redes de Computadores que, em 22 horas de curso online on-demand, oferece conhecimento teórico e prático. “Além disso, a SegInfoBrasil tem um canal no Youtube com mais de 15 vídeos na área e oferece Webinars gratuitos de forma recorrente”, diz.

O objetivo de Marcos é expandir a plataforma, para que ofereça cada vez mais cursos que possam abranger outras áreas de Segurança da Informação, como PenTest, Auditoria etc. “Para isso, mais instrutores devem ser adicionados, desde que tenham a flexibilidade de serem muito criativos para criação das aulas, gostarem de rabiscar na tela (característica fundamental dos cursos – também chamado Whiteboard) e muito bom senso de humor para transmitir o conhecimento”, completa.