* Por Exame.com

De janeiro a julho, o Nubank atingiu uma receita total de 236,8 milhões de reais, montante 167,5% maior que o faturado pela empresa no ano anterior inteiro.O valor corresponde a soma da receita operacional, correspondente à taxa de intercâmbio, com a receita financeira, que a fintech ganha com juros e rendimentos, assim como outros bancos.Ainda assim, a então startup não atingiu lucro, ainda que tenha encurtado muito a distância até a linha azul. No primeiro semestre, o prejuízo operacional foi de 39 milhões de reais. Se anualizada, a melhora do resultado foi de 36% em relação aos 122 milhões de reais negativos de 2016.

A melhora significativa do negócio é atribuída pelo Nubank ao aumento expressivo da receita, de 65%, frente aos gastos com custos e despesas, diluídos entre os clientes.

“Com isso, conseguimos manter altas taxas de crescimento, que hoje giram em torno de 10% ao mês, e continuar melhorando o resultado contábil”, afirmou Gabriel Silva, CFO do Nubank, em comunicado.

De acordo com a empresa, o portfólio de recebíveis de cartão de crédito avançou 53% comparado a dezembro de 2016 e atingiu um total de 2,15 bilhões de reais.

Desde que foi fundada, em 2013, a startup já arrecadou mais de 180 milhões de dólares em cinco rodadas de investimentos. Recentemente, anunciou um aumento na linha de crédito de recebíveis com Goldman Sachs e Fortress Investment Group para 455 milhões de reais.

* Por Tatiana Vaz, para Exame.com