* Por Daniel Dahia

Há alguns meses, Travis Kalanick foi destituído do cargo de CEO da Uber, empresa que cofundou e impulsionou a se tornar a mais valiosa startup do ocidente, revolucionando o mercado de transporte privado. Desde sua saída, formou-se um vácuo de poder dentro da companhia.

Mas na última semana isso acabou.

O novo comandante da Uber é Dara Khosrowshahi, ex-CEO da Expedia, uma das maiores empresas de turismo do mundo. A escolha surpreendeu pelo fato de Dara ser um executivo que vive fora do radar, diferente dos outros nomes cogitados, como Meg Whitman (CEO da HP) e Jeff Immelt (CEO da General Eletric).

Dara nasceu no Irã, em 1969, emigrando para os Estados Unidos aos 9 anos, fugindo da revolução Iraniana. Estudou engenharia elétrica na Universidade de Brown e se juntou ao banco de investimentos Allen & Co como analista em 1991. Entrou no mundo do turismo na USA Networks (atual IAC), quando a empresa comprou parte da Expedia.

Sob seu comando, a Expedia se tornou uma companhia avaliada em 21 bilhões de dólares e cresceu suas receitas de 2.1 bilhões em 2005 para 8.7 bilhões em 2016. Dara foi o CEO mais bem pago do mundo em 2015, recebendo bonificações no valor de 95 milhões de dólares pelo seu desempenho. O executivo é crítico ferrenho das políticas do presidente norte-americano Donald Trump, principalmente no que se refere a imigração.

Crescimento das ações da Expedia desde a entrada de Dara

Agora a missão de Dara é colocar ordem na casa.

Primeiro, a Uber continua perdendo dinheiro. Suas perdas anuais alcançaram $645 milhões em 2016. Dara precisa encontrar uma forma de modificar o modelo de negócios com o objetivo de atingir o break-even.

Segundo: a startup ainda sofre um processo gigantesco da Google, por violação de patentes de carros autônomos. Isso precisa ser resolvido porque os carros autônomos são parte fundamental do sucesso da empresa.

Terceiro: os fundos de investimentos precisam de uma saída (o famoso exit), que é feita através da IPO. Em outras palavras, eles precisam transformar as ações da Uber que possuem em dinheiro. Dara deve, então, escolher o momento mais propício para realizar a abertura de capital.

Por fim, cabe a Dara Khosrowshahi mudar a opinião pública a respeito da companhia, que vem sofrendo ataques de todas as frentes. A Uber, como já comentei nesse video, é vista como uma empresa “do mal” e tem visto seu valor de mercado caindo.

Hoje o novo CEO será oficialmente apresentado aos funcionários. Os próximos meses serão fundamentais na transição – e podemos começar a observar os resultados muito em breve.


Daniel Dahia acredita que a tecnologia é a principal forma de moldar o Universo. Estudante e cofundador do Spotshopp, startup de varejo que conecta lojas e clientes durante o momento da compra. Escreve sobre tecnologia e empreendedorismo desde pequeno e atualmente é colaborador do MacMagazine e Startupi.