Em parceria com a Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia de São Paulo, o Consulado de Israel em São Paulo lançou a Start Jerusalem Brasil 2017, competição de startups que levará um empreendedor brasileiro a Israel para participar de uma semana de seminários e encontros no incomparável ecossistema de startups do país.

O Startupi está apoiando o evento e aproveitou para conversar com Dori Goren, Cônsul Geral de Israel em São Paulo. Dori é um diplomata experiente e conhece bem a América Latina. Nascido em Jerusalém em 1955, fala português e espanhol fluentemente e durante a entrevista, falou detalhes sobre a iniciativa, sobre o ecossistema do Brasil e de Israel e as oportunidades de negócios existentes. Confira abaixo!

Dori conta que estão em contato com diversos centros para colaborar de alguma forma para que exista uma troca entre Israel e Brasil na área de tecnologia. “São Paulo está em 13º no ranking de ecossistemas de startups – Israel está em 2º – e existem outros grandes centros, como São José dos Campos, Recife e Porto Alegre. Neste último, um acordo com a Universidade Hebraica de Jerusalém, conta com a instrução contínua de professores israelenses, o que desenvolveu bastante o ecossistema de inovação”, destaca.

O Start Jerusalem acontece em 30 países e tem como objetivo proporcionar essa troca de conhecimento em inovação e tecnologia e levar empreendedores de todo o mundo para conhecer o inovador e incomparável ecossistema de startups de Israel e também fomentar o ecossistema brasileiro de startups. “No ano passado realizamos a competição pela primeira vez no Brasil – a Start Tel Aviv Brasil 2017 – e foi um sucesso. A vencedora, a CEO do “Menu For You”, Melina Guelman, passou um período bem proveitoso em Israel com especialistas e investidores”. Segundo Dori, essa troca de experiências é importante para a abertura de pensamento por meio da troca de conhecimento e, sobretudo, de jeitos diferentes de pensar, o que é essencial para o desenvolvimento de uma cultura empreendedora.

Quando questionado sobre quem pode se inscrever e que tipos de negócios mais interessam, Dori destaca a Inovação, que segundo ele, é o que mais chama a atenção. “Quanto mais inovadora for a startup, mais chances terá de vencer a competição. Podem participar pessoas físicas com projetos de empresa ainda não constituídas ou empreendedores com empresas em estágio inicial (startups) com até 36 meses de existência nas áreas de IOT- ICT, mobile e web. As companhias devem ser privadas e não podem fazer parte de uma empresa maior”.

Em Israel, durante a semana de inovação, o empreendedor vencedor terá a oportunidade participar de palestras com especialistas, encontrar-se com investidores e visitar startups. A expectativa é que seja uma experiência enriquecedora, que poderá refletir no ecossistema de startups brasileiro.

Para se inscrever, o participante deve preencher o formulário no site e enviar para o e-mail startjerusalembrasil@gmail.com com um vídeo em inglês de até dois minutos que contenha a ideia de sua startup.

 A grande final, com três a cinco startups finalistas, acontecerá no dia 18 de setembro, no MobiLab, o Laboratório de Mobilidade Urbana criado pela Prefeitura de São Paulo para introduzir inovação e mudar o relacionamento da administração pública com tecnologia. A competição também conta com o apoio da Anjos do Brasil, maior entidade sem fins lucrativos de fomento ao investimento-anjo do país.