* Por Antonio Cardoso

Olá leitores do Startupi, nós aqui no Aussi admiramos muito o meio colaborativo e estávamos sentindo falta disso aqui na nossa coluna. Por isso, escrevi este artigo com a colaboração de outros empreendedores brasileiros que também estão no programa e darão suas opiniões sobre esse período. São eles:

Braulio Bonoto da Psicologia Viva, plataforma que conecta psicólogos e pacientes para realizarem terapia online;

Fabiola Borba da Signa, que oferece cursos online para surdos, construídos em Libras e com legendas;

Rui Barbosa da Stadyo, uma plataforma de transmissão profissional de eventos esportivos para atletas amadores, pequenas e grandes ligas e federações,

Tiago Santo da Husky, que torna muito simples o envio ou recebimento de pagamentos internacionais.

Para isso separamos as perguntas que mais nos são feitas sobre o programa, separados em dois artigos:

Qual a sua avaliação geral do programa?

Braulio: o Startup Chile talvez seja um dos programas de aceleração mais cosmopolitas que já ouvi falar, meu batch por exemplo foi de 33 países. A possibilidade de conexões, troca de ideias com empreendedores de mercados tão diversos gera oportunidades incríveis de aprendizado mas tem de correr atrás pois ninguém fica com uma plaquinha “Quero contar minha estória”.

Fabiola: o programa é ótimo para as startups que já entenderam o processo de validação de negócio e precisam de um investimento para continuar a testar seu mercado e buscar por um modelo de negócio. Quem tem a América Latina como mercado, o Chile é uma ótima porta de entrada. Eu super indico o Start-Up Chile (SUP) para todos os empreendedores que pensam globalmente pois aqui temos uma vivência multicultural. Com isso, você está a todo o momento entendendo outros mercados e fazendo conexões com outros empreendedores de diferentes partes do mundo.

Rui: o SUP é um programa de aceleração completo – equity-free – porque oferece o que os empreendedores normalmente esperam de suporte: mentorias, treinamentos em áreas como vendas, legislação, precificação, entre outros. Além disso, te expõe a um ambiente de alto desempenho, frequentado por centenas de empreendedores de vários continentes e a equipe do SUP te acompanha e  ajuda em cada passo do seu crescimento. Enfim, você passa pelo programa e sai de lá com uma nova visão do seu negócio, com métricas, com métodos práticos. Resumindo, sai preparado.

Tiago: superou minhas expectativas. O programa é realmente grande, de nível global, além de impactar diretamente na economia e desenvolvimento do Chile. A equipe do SUP não mede esforços para conectar os participantes com empresas e entidades locais, e eles têm muita penetração. Ao mesmo tempo em que oferecem muitas oportunidades, têm o dom de deixar as empresas livres o suficiente para definir seus próprios caminhos. Saio realmente satisfeito com o programa, e com a sensação que o programa está completando as bases para evoluir com muito mais velocidade nos próximos anos.

É isso pessoal, no nosso próximo artigo trago mais opiniões e diversos aspectos do programa. Ficou com alguma dúvida? Alguma outra pergunta? É só comentar aqui que te respondemos! 😊


 Formado em economia pela IBMEC, Antônio Cardoso é cofundador e diretor de marketing do Aussi, um aplicativo mobile voltado para ajudar os empresários de pequeno porte, conectando-os entre si, de forma gratuita, para que todas suas dúvidas e problemas sejam sanados e resolvidos sem custo algum para micro e pequenas empresas. E juntamente com seus parceiros de negócios Marllon Calaes e Felipe Ferraz, passa um período no Startup Chile, juntamente com outras 99 startups, para seguir no desenvolvimento e aprimoramento do Aussi.