Na manhã de hoje, o Cubo Coworking – iniciativa do banco Itaú e da Redpoint eventures -, anunciou os próximos passos para alcançarem o objetivo de se tornarem um dos maiores centros de empreendedorismo do mundo. Para abrigar sua comunidade crescente, o hub quadruplicará seu tamanho.

De acordo com Ricardo Guerra, diretor-executivo do Itaú Unibanco, o objetivo da mudança é aumentar a escala de impacto que o coworking traz para as startups e inovação no País. “O Cubo foi criado para trazer o ecossistema do Vale do Silício para o Brasil. Fomos bem sucedidos e, hoje, temos uma lista de espera grande de empreendedores que querem ter o seu escritório aqui. Identificamos uma demanda do mercado e vamos trabalhar para atendê-la”, diz.

Lineu Andrade, diretor do Itaú Unibanco responsável pelo Cubo, diz que o um dos desafios do banco é sua constante evolução digital, e o centro de empreendedorismo é parte deste processo. Entretanto, por ser uma iniciativa de fomento e, dado seu espaço físico, o Cubo chegou a um limite no qual só é possível comportar um determinado número de startups e eventos. “À medida em que aproxima os nossos colaboradores de um ambiente inspirador, o Cubo estimula o desenvolvimento de soluções cada vez mais inovadoras e alinhadas às necessidades dos nossos clientes”, explica.

Mas o objetivo da mudança não é apenas aumentar o espaço. O Cubo também pretende trazer novos serviços para sua comunidade. Anderson Thees, cofundador e managing partner da Redpoint eventures, diz que a nova estrutura do hub permitirá que as empresas fundadoras do Cubo ampliem as iniciativas de atuação setorial com parceiros em segmentos específicos, trazendo para dentro do Cubo startups de determinadas indústrias por meio de curadoria de grandes empresas. Hoje, são mais de 15 indústrias diferentes dentro do coworking. A que tem maior quantidade de empresas, atualmente, são as HRTechs.

“Vamos trabalhar com empresas que são expoentes em áreas importantes do nosso mercado. Com isso, traremos conhecimento e recursos para que as startups acelerem cada vez mais o ritmo de inovação e tragam ainda mais eficiência para o Brasil. O Cubo é uma peça-chave para nosso ecossistema e motivo de orgulho em escala global”, explica Anderson.

Outro objetivo da nova sede é também ampliar o fomento ao empreendedorismo universitário e de empreendedores recém formados, por meio de parcerias para realizações de intercâmbios globais das startups residentes e empreendedores brasileiros com grandes hubs de inovação ao redor do mundo.

Atualmente, o prédio de cinco andares do Cubo ocupa uma área de 5.324 metros quadrados e abriga 52 startups, com cerca de 250 residentes atualmente. Lá, circulam mais de 650 pessoas diariamente. O novo prédio, que terá 12 andares e um rooftop, terá 20.573 metros quadrados, podendo abrigar até 210 startups e 1.250 residentes. A estimativa dos fundadores do local é que circulem pelo novo espaço mais de 2 mil pessoas diariamente. O Itaú e a Redpoint eventures não divulgaram o valor do investimento para esta nova sede.

O objetivo, de acordo com Lineu, é atrair ainda mais parceiros para a nova sede. Segundo Flávio Pripas, o novo prédio será inaugurado no primeiro semestre de 2018 na Alameda Vicente Pinzon, 54 – Vila Olímpia, São Paulo.

Fotos: Solange Macedo