* Por João Kepler

Para quem ainda não conhece (mas é bom conhecer logo) o Hooked é um aplicativo “chat fiction” (bate papo de ficção) que chegou ao impressionante número de 20 milhões de adolescentes conectados para ler coletivamente mais de 10 bilhões de mensagens de texto fictícias nos últimos seis meses. Ficou curioso? Nas próximas linhas você vai entender como Hooked está mudando a maneira como lemos.

Para a cofundadora e CEO da Hooked – Prerna Gupta, o segredo é que “o bate-papo de ficção é a porta de entrada para os adolescentes se engajarem em histórias de multimídia e móveis”.

A pergunta que a maioria deve estar se fazendo neste momento é: como você realmente consegue prender a atenção de jovens e fazer com que eles tenham interesse em ler? E para entender o sucesso do Hooked é preciso considerar que o comportamento do leitor está mudando rapidamente e dramaticamente, especialmente nas gerações mais novas. Se você olhar para livros, 80% dos jovens adultos que leem estão lendo em dispositivos digitais, e o primeiro ponto de contato para quase qualquer mídia é cada vez mais por meio do celular.

Além disso, é preciso considerar ainda que o comportamento está mudando, mas a forma como pensamos sobre o formato da novela/histórias não mudou realmente em centenas de anos. As histórias tradicionais são divididas em capítulos que podem levar até uma hora para ler. Mas o comprimento médio da sessão móvel é de 2,5 a 5 minutos.

Eu particularmente não acredito que a demanda por leitura está morrendo, eu apenas acho que a leitura tem que mudar, e a forma como estamos criando histórias tem que ter sentido para a forma como vivemos nossas vidas hoje. E é justamente aí que a Hooked se destacou, eles começaram a engajar principalmente porque se propuseram a repensar as narrativas para atrair as novas gerações. Testaram uma história escrita como uma troca de mensagens de texto entre os personagens, foi o que realmente fez com que os adolescentes pudessem ler.

E afinal, quem está lendo chat fiction em Hooked? Os primeiros leitores foram 80% mulheres, de 13 a 17 anos, principalmente nos EUA. Uma vez que as coisas começaram a decolar em 2016 – chegaram a 10 milhões de leitores em abril e 20 milhões em maio – o grupo demográfico se ampliou. A divisão de gênero é agora 60% mulheres e 40% homens, e a faixa etária é aproximadamente entre 13 e 35 anos.

No sentido mais amplo, os concorrentes da Hooked são quem captura a atenção de um adolescente em um telefone: SnapChat, Instagram, Facebook. Mais recentemente, vários concorrentes diretos que são realmente clones do Hooked. No outono passado, a Amazon lançou Amazon Rapids, que é claramente uma resposta a Hooked, mas focada em uma população demográfica mais nova, oito a doze anos de idade. Então, o cliente é realmente o pai que está tomando a decisão de fazer o download.

Em fevereiro, Wattpad lançou um clone exato de Hooked chamado Tap. Inicialmente, eles até colocaram “viciados” em seu nome. Era como, “Tap – read to get hooked”, ou algo assim. Felizmente, a Hooked tem a marca comercial, então pediram que gentilmente para removê-la, e eles fizeram. Então, a Science Mobile lançou um chamado “Yarn”. Essas são as duas equipes mais sérias.

Esses produtos de clones iniciais estão deixando uma coisa clara: a ficção de bate-papo atingiu a maioridade. A Hooked provavelmente não será o único que contará histórias neste formato, e isso é uma coisa boa. Isso significa que eles estão conseguindo cumprir a missão de levar os adolescentes a ler mais ficção.

Por tudo isso a Hooked atraiu uma lista de investidores, inclusive a Bossa Nova Investimentos do qual sou Lead Partner, e eles levantaram apenas na fase semente US$ 5 milhões.

Vamos aguardar as próximas conquistas e evolução do negócio que literalmente está sendo escrita diariamente.


joão Reconhecido como um dos conferencistas mais sintonizados com Inovação e Convergência Digital do Brasil; Especialista em empreendedorismo, startups, marketing e vendas; Investidor Anjo desde 2008; Participa em mais de 100 StartUps; Lead Partner da Bossa Nova Investimentos; Premiado como melhor Investidor Anjo do Brasil pelo Spark Awards da Microsoft; Palestrante internacional; Escritor e autor e coautor dos Livros O vendedor na Era Digital, Vendas & Atendimento, Gigantes das Vendas e Educando Filhos para Empreender; Premiado como um dos maiores Incentivadores do Ecossistema Empreendedor Brasileiro.