O bitcoin, criptomoeda mais famosa e utilizada no mundo, chegou esta semana ao valor de 4 mil dólares, o valor mais alto já atingido pela moeda desde quando foi criada, em 2009. Na segunda-feira, a moeda chegou a ser comercializada por até 4.320 dólares. Por aqui, o valor de cada bitcoin chega a 14 mil reais.

Apenas na semana passada, a bitcoin adicionou mais de US$ 15 bilhões em capitalização de mercado. E, apenas neste ano, o bitcoin cresceu mais de 320%.

Demanda do Japão

O iene japonês representa mais de 42% da compra de bitcoins, de acordo com o site da indústria CryptoCompare.

Os reguladores no Japão têm sido muito favoráveis ​​a bitcoin. No início deste ano, o Japão começou a aceitar bitcoin como moeda legal com grandes varejistas que apoiam a nova lei. A cadeia de lojas de departamentos, Marui, por exemplo, está testando pagamentos de bitcoin em um de seus locais.

Atualização Bitcoin

Depois de lutar dentro da comunidade bitcoin sobre o futuro da tecnologia, a questão da atualização da rede bitcoin foi finalmente resolvida.

O acordo era aumentar o tamanho da capacidade de transação na cadeia de blocos, que é a tecnologia que sustenta o bitcoin. Uma atualização conhecida como SegWit2X está sendo introduzida na cadeia de blocos e isso deve ser implementado nos próximos dias.

“O Segwit2X, sem dúvida, foi o catalisador inicial para este rali, eliminando a incerteza de como o bitcoin deve escalar”, disse Charlie Hayter, CEO da CryptoCompare, para a CNBC.

Interesse institucional

À medida que os reguladores começam a se interessar por bitcoin, os investidores institucionais também estão tentando encontrar uma maneira de se envolver.

Esta semana, a Fidelity lançou uma característica que permite que os clientes também vejam suas participações de bitcoins da Coinbase. A moeda também recebeu um impulso da Goldman Sachs, que em um relatório divulgado nesta semana disse que é mais difícil para investidores institucionais ignorarem criptografia como bitcoin.

Fonte: CNBC