Quatro equipes apoiadas pelo Ford Motor Company Fund estão entre os finalistas da Competição Nacional entre os times Enactus, que contará com 68 universidades de todo o Brasil e será realizada durante a 17ª edição do Evento Nacional Enactus Brasil. O maior encontro técnico-científico gratuito do país, que tem como tema “Empreendedorismo Social”, será realizado nos dias 20 e 21 de julho, no Rio de Janeiro. A equipe vencedora representará o país no Campeonato Mundial em setembro em Londres, na Inglaterra.

O Ford Motor Company Fund, braço filantrópico da Ford que apoia várias ações sociais no Brasil e no mundo, concedeu em março deste ano, US$5 mil para cada um dos times de universitários selecionados dentro do “Ford College Community Challenge” (Ford C3), que tem como tema “Construindo Comunidades Sustentáveis”. A ação é resultado de uma parceria com a Enactus Brasil.

Os universitários foram desafiados a utilizar a ação empreendedora para encontrar formas inovadoras de solucionar uma necessidade específica e urgente em uma comunidade local, empoderando-a para se tornar um lugar mais sustentável para trabalhar e viver.

Nossa estratégia de Responsabilidade Social está baseada em dois pilares: educação e sustentabilidade. A parceria com a Enactus nos permite unir essas duas premissas em um único projeto, com impacto positivo nas comunidades e no meio ambiente”, explica Adriane Rocha, gerente de Relações Corporativas da Ford Brasil.

Entre os trabalhos selecionados está o Projeto Mudas, do time do IFCE Iguatu (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Campus Iguatu), que propõe palestras e cursos para a comunidade voltados à produção de frutas e hortaliças, fabricação de polpas, doces e bolos que evitem o desperdício de alimentos, além de um curso de informática para jovens, a promoção de feiras de comercialização de produtos e assistência técnica especializada em diversas áreas: saúde, agricultura e estética.

O projeto Solaris, do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), de São José dos Campos (SP), é focado em economia de energia em comunidades subdesenvolvidas. O time está implementando painéis solares caseiros eficientes e de baixo custo para suprir a demanda da comunidade. Durante a fabricação dos painéis, os moradores são qualificados para construir o equipamento, bem como fazer a sua manutenção.

O projeto AlfaTech, da UFABC (Universidade Federal do ABC), consiste em desenvolver um software orientado para a aprendizagem individualizada, que melhora o processo de alfabetização de crianças na escola primária.

O projeto desenvolvido pela ESAG UDESC (Escola Superior de Administração e Gerência) de Florianópolis (SC), chamado de Arapuã, foi implementado na comunidade Tapera da Base, na capital catarinense, que atravessa grave situação de vulnerabilidade social. O time buscou soluções para os problemas por meio de uma atividade inovadora, altamente lucrativa e sustentável: a apicultura de mangue. A prática produz mel com valor agregado de 100% quando comparado com o regular, além de um tipo diferente de própolis que tem alto valor agregado, por causa de suas propriedades medicinais.