A Vindi e a Smartbill anunciaram esta semana a fusão das duas empresas para consolidar o mercado de pagamentos focado no setor de serviços na América Latina. “A partir de agora, trabalharemos para ser uma única empresa, mais forte, com maior oferta de serviços e produtos”, explica Rodrigo Dantas, fundador da Vindi.

“No Brasil, o processo de cobrança por assinatura não era fácil. O ambiente financeiro brasileiro tem algumas regras específicas. Os bancos não estão abrindo suas APIs, os regulamentos são muito difíceis de cumprir, os impostos não estão integrados aos sistemas de cobrança e os pagamentos recorrentes são muito difíceis de fornecer, porque todos os métodos de pagamento existentes. Boletos, prevenção de fraudes, conta de débito e delinquência de controle são desafios para todo tipo de empresas”, diz o comunicado oficial das empresas.

Como comparação, o acordo em termos de complementaridade de soluções e estratégias seria como a Zuora (EUA) e Recurly (duas referências americanas no faturamento de subscrição) se fundissem. “O novo Regulamento do Banco Central está pronto para abrir o mercado de pagamentos no Brasil e será uma ótima oportunidade para empresas como Smartbill e Vindi. Estamos muito felizes com essa associação e o acordo. Estamos mais fortes e prontos para o futuro”, diz Rodrigo.

Juntas, as duas empresas agora apoiarão o maior negócio recorrente do País. Casos como Serasa Experian, Multiplus, B2W, Buscapé, Editora Abril, Movile, Smartfit, Wizard, Wise Up, Thomson Reuters e mais de 2 mil empresas usarão as soluções conjuntas.