A TOTVS anunciou hoje o lançamento da Carol, plataforma de dados e inteligência artificial da companhia. De acordo com Laércio Cosentino, CEO, a novidade é um marco na “nova era de inovação” da empresa, e auxiliará os clientes da TOTVS a coletar e analisar uma grande quantidade de informações, otimizando os processos das empresas.

Para o CEO, o que esta revolução digital pela qual a TOTVS está passando é impulsionada pela tecnologia mas, primeiramente, motivada pelo desejo das pessoas compartilharem informações de forma colaborativa e conectada. “Esta é a segunda parte de uma jornada de quatro anos, começada em junho de 2015. Nós não estamos apenas gerando novos produtos e serviços, mas transformando completamente a empresa”, explicou.

E, para que esta transformação seja bem sucedida, é necessário ajudar os mais de 30 mil clientes da empresa a evoluírem junto. “Transformar uma empresa significa modificar também todo o ecossistema onde ela vive. Nosso objetivo é tornar nossos clientes gestores de informação, não só mudar os processos e rotinas.”

Mais de 800 colaboradores trabalham em um dos open spaces

 

Entrada do prédio com a frase que resume os valores da empresa

Carol

A plataforma de machine learning da TOTVS, além de coletar e processar os dados das empresas usuárias, também pode funcionar como uma assistente virtual, que responde dúvidas sobre o status do estabelecimento e oferece insights de negócio para possíveis melhorias de vendas ou retenção de clientes, por exemplo.

Uma das aplicações desenvolvidas com a Carol foi com a Bematech, empresa do Grupo TOTVS de dispositivos inteligentes e IoT. Partindo do Bemacash, solução para ponto de venda voltada aos micro e pequenos varejos, a plataforma de Inteligência Artificial passou a receber dados das vendas realizadas pelos clientes através de componentes de IoT.

Com milhões de recibos de venda sendo processados por dia, a primeira ação tomada pela plataforma é o saneamento e a qualificação desses dados. Por exemplo, somente o produto Coca-Cola foi registrado de 986 formas diferentes pelos estabelecimentos analisados. Utilizando técnicas de Deep Learning, Algoritmos Genéticos e Redes Neurais, a tecnologia consegue entender que todos são refrigerantes produzidos pela mesma empresa com diferentes sabores e tamanhos.

O próximo passo então é utilizar o engine de Machine Learning para levar insights de negócios a esses comércios. Ou seja, desta forma os empresários podem entender como eles estão se saindo no seu segmento em comparação aos concorrentes da região, qual a previsão de vendas baseada em eventos externos, como clima e feriados, e até planejar uma expansão.

À medida que a plataforma recebe novos dados de diversos negócios, mais ela aprende e conhece melhor determinado setor. A capacidade de aprendizado também é acelerada a partir das APIs abertas da ferramenta, permitindo que qualquer pessoa ou empresa ensine novas habilidades e crie modelos em cima da Carol. Assim, conforme ela for ensinada por uma empresa, os demais clientes também se beneficiarão dessa inteligência, abreviando a evolução e os benefícios do uso da inteligência artificial.

Laércio Cosentino, CEO da Totvs

Este aprimoramento permitiu também a criação de outra aplicação da Carol ao Bemacash: o auxílio a processos complexos, especialmente para pequenos empresários, como a precificação de produtos e serviços. Definir por quanto vender determinada mercadoria depende de diversas análises, como o mercado-alvo, concorrência, custos, sazonalidade, entre outros fatores. Com a plataforma, ao adicionar um novo produto para venda no Bemacash, o cliente vai receber uma notificação dentro do próprio software com sugestão de preço, de forma instantânea.

“Por exemplo. Se meu produto novo é um morango, a Carol me sugere o preço para vender a caixa de morangos, ou um suco, ou a fruta com açaí ou até uma torta de morango. Cada um destes preços de acordo com os custos para produção do produto e a média de preço dos concorrentes da minha região”, explica Laércio.

Sede

Além do lançamento da plataforma, a TOTVS também abriu suas portas para conhecermos melhor sua nova sede, na Zona Norte de São Paulo. O espaço tem mais de 65 mil metros quadrados e foi inspirado nas sedes das principais empresas do Vale do Silício. A ideia foi criar um novo layout e priorizar a tendência de open spaces, com grandes áreas de trabalho, sem divisórias, para promover a livre circulação de pessoas, compartilhamento de ideias e a produção de conhecimentos.

Em um ambiente inspirador, a cultura da companhia ganhou um forte impulso, com maior integração entre as pessoas. Fato que facilita e estimula o trabalho criativo e colaborativo entre os profissionais, além de atrair novos talentos que buscam ambientes dinâmicos e estimulantes.

Um dos mais de 40 grafites espalhados pelo espaço

 

UX Lab

 

Área externa e teto verde da sede

 

Um dos ais de 40 grafites espalhados pelo prédio

Diariamente, são mais de 4 mil pessoas circulando por lá, sendo mais de 3 mil colaboradores da companhia, ou Totvers, como são chamados. O espaço tem 1.200 vagas para carros e um bicicletário, 121 salas de reunião, 1 teatro com 250 lugares, 2 salas de piquenique para confraternizações e 5.300 metros quadrados de teto verde, para diminuição da poluição e combate ao efeito de Ilhas de Calor das grandes cidades. Além disso, 80% da água consumida no espaço é reaproveitada.

“Somos uma eterna startup e estamos sempre em transformação. Conhecemos o mercado brasileiro, sabemos a realidade do país e as necessidades das empresas, sejam elas micro ou grandes. A TOTVS está preparada para ajudar cada uma a trilhar essa mudança digital para que se tornem mais competitivas e duradouras no mercado em que atuam”, conclui Laércio Cosentino.