Foi acreditando no poder dos astros que a empreendedora Carla Ribeiro criou o Joinder.me, aplicativo onde os usuários podem interagir a partir da compatibilidade de seus signos. No app, que foi lançado em 2016, o objetivo dos usuários é conhecer novas pessoas e criar laços, indo muito além de deslizar fotos para os lados em “likes” e “unlikes”.

Formada em Design Gráfico e Publicidade e Propaganda, Carla diz que sua ligação com a astrologia é muito pessoal. “Eu faço meu mapa astral para autoconhecimento. A ideia de usar a astrologia no app veio de uma necessidade minha”, explica. Para ela, quando começou a utilizar as redes sociais para fazer novas amizades, o menos relevante era a fotografia da outra pessoa. “Naquela época, o mais importante era o bate-papo, era conhecer a pessoa e seus gostos. A gente se apaixona por isso, não pela foto da pessoa”, diz.

Por causa disso, Carla, que é arquiteta da informação – e cabe nos papeis tanto de consumidora quanto de desenvolvedora de apps -, enxergou um gap neste mercado: a ausência de aplicativos de relacionamentos que priorizassem a troca entre os usuários. Assim, nasceu o Joinder.me.

Hoje a startup está com uma campanha no Kickante para arrecadação de fundos para melhorias no aplicativo. “Como a gente ainda não recebeu investimento, tudo o que tem sido feito no Joinder.me é com o amor e os investimentos dos sócios”, explica. O objetivo do crowdfunding é expandir a base de clientes da plataforma, deixá-la mais ágil e com mais funcionalidades.

Carla Ribeiro, fundadora do Joinder.me

Astrologia

Se o foco do app era promover a interação entre todos os usuários, como fazer com que eles se interessassem um pelo outro? É aí que entra a astrologia. Além de oferecer automaticamente algo em comum a todos dentro do app, que é o interesse pelos astros, no app também é possível segmentar a interação com outros usuários a partir do mapa astral de cada um.

O Joinder.me conta com uma astróloga que realiza o mapa astral de cada usuário, dizendo quais perfis e signos de usuários mais combinam entre si. As pessoas também podem, dentro da plataforma, avaliar o papo que tiveram com outras no app, parecido com a avaliação que se dá para apps de transporte urbano, por exemplo. Assim, é possível descobrir se a pessoa com quem se quer conversar é boa de papo e simpática antes mesmo de puxar conversa.

Há, ainda, um chatbot que funciona como um “conselheiro amoroso dos astros”. Durante um bate-papo entre dois usuários, o bot pode sugerir a um deles, a partir da combinação dos signos dos participantes, programas que agradem ambos os signos, dicas para que a conversa se torne mais agradável e possíveis problemas causados pela combinação dos mapas astrais, por exemplo, sejam solucionados.

“Nós temos uma preocupação, de fato, de querer que o relacionamento dos participantes da plataforma realmente vá para frente. Nós tentamos criar todos os mecanismos e oportunidades para que realmente saibam lidar com as diferenças e realmente prossigam se aproximando”, diz Carla.

Diversidade

Por falar em diferenças, ao contrário da maioria de aplicativos de relacionamento, o Joinder.me não é voltado para um público especificamente hétero ou homossexual. Isso acontece porque, segundo Carla, a startup está se propondo a conectar pessoas, sem distinção.

“Meu sonho é fazer do Joinder.me um local onde todo mundo se entenda, onde as pessoas possam se sentir seguras. A ideia é que esta startup seja uma ferramenta do bem e, para isso, ninguém pode ser excluído do nosso público. Para que tenhamos um mundo melhor, todos precisam se dar bem e se respeitar, e o Joinder.me se baseia nisso”, diz. Por enquanto, há cerca de 10 mil usuários ativos na plataforma, tudo a partir de alcance orgânico.

Futuro

Atualmente, a startup é uma das residentes do Distrito, coworking sediado em São Paulo. “Quando eu conheci o pessoal do Distrito eu não tinha nada além de um PDF sobre minha startup e um sonho. O pessoal de lá gostou muito e acreditou na ideia, por isso fiz o MVP”, explica a empreendedora. “Considero o Distrito como a nossa casa”.

Para os próximos meses, a startup pretende inserir filtros de avaliação e combinação para que os usuários encontrem outras pessoas na plataforma. Em breve também virão as versões premium, onde mapas astrais mais detalhados poderão ser realizados.

O aplicativo ainda tem o Spia.me, plataforma de conteúdo voltada para o público do app. Para conhecê-la, acesse aqui. O Joinder.me está disponível nas lojas da Apple Store e do Google Play.