* Por Augusto Ferraz, Líder Regional da Anjos do Brasil – DF e Sócio da Polaris Investimentos.

Pagamento de contas, compras e a maneira de nos relacionarmos são só algumas das atividades da nossa rotina que foram digitalizadas. A maneira como aprendemos e estudamos também não fica de fora. Vídeo aulas, livros, exercícios e apostilas digitais são disponibilizadas em diversas plataformas educacionais. Essas ferramentas geram uma massa de dados que passam a compor uma grande base. A partir da avaliação desses dados é possível extrair informações valiosas para que os alunos possam trilhar um caminho de estudos muito mais eficiente.

Foi justamente visando a eficiência nos estudos que o empreendedor e estatístico Victor Maia de 35 anos, especialista em aprendizagem pela Universidade da Califórnia, desenvolveu um sistema para calcular quanto tempo alguém terá de estudar para passar em exame: o QualConcurso. O sistema é baseado em uma nova tecnologia para facilitar a preparação para qualquer concurso ou exame. O software usa inteligência artificial para aumentar as chances de sucesso do candidato, sempre usando como referência o desempenho dos últimos aprovados na prova em questão, enquanto orienta, passo a passo, como ele deve estudar de forma mais eficiente para qualquer tipo de exame.

Esse sistema de orientação é uma plataforma de avaliação que, por meio de resolução de exercícios, calcula o desempenho do usuário e o relaciona com as áreas em que ele possui maior proficiência e as áreas que necessitam mais estudo. Indica também os certames com maior probabilidade de aprovação e compara o resultado do usuário com o desempenho médio dos aprovados em determinada prova.

O processo se inicia com testes para saber o nível de proficiência do usuário e leva em consideração o tempo que o usuário diz ter para estudar e o peso dos assuntos a  serem cobrados na prova. As questões são organizadas por nível de dificuldade e o grau das perguntas aumenta ou diminui conforme o seu número de acertos e erros. Em seguida, uma sugestão de distribuição do tempo de estudo do candidato é feita com foco nas áreas mais críticas (com menos proficiência), levando em consideração o tempo que o usuário diz ter para estudar.

Como a plataforma do Qual Concurso é adaptativa, seu sistema é formado por um algoritmo computacional também baseado na Teoria de Resposta ao Item (TRI) que foi desenvolvido pelo fundador em sua dissertação de mestrado. Com o algoritmo, que   é “uma TRI adaptada”, foi possível superar a barreira de entrada para outros concorrentes na comercialização de plataformas para concursos por conseguir processar uma grande quantidade de dados (big data) não padronizados, tornando-os um input inteligível para o usuário comum.

Essas ferramentas de ensino fazem parte de um novo contexto educacional e, assim como a tecnologia alterou a nossa forma de consumir e se relacionar, ela também está mudando a nossa forma de aprender e ensinar. E esse é o objetivo da Qual Concurso: utilizar sua metodologia para estimar a “velocidade de aprendizagem” do candidato, por meio de inteligência artificial, como se fosse um GPS, orientando o condutor no deslocamento, evitando que ele fique perdido no caminho e gaste mais tempo para chegar ao seu destino.

A startup foi fundada em 2014, passou um ano implementando o software com recurso próprio dos empreendedores e em 2016 recebeu seu  primeiro investimento feito pela Polaris Investimentos. Desde então, o empreendedor segue aprimorando o algoritmo e aprimorando-o para que as recomendações e estimativas feitas aos usuários se tornem cada vez mais refinadas.

Por isso, não deixe de saber mais sobre a plataforma pelo site da empresa.

* O conteúdo deste texto, incluindo comentários, informações, opiniões e pontos de vista é de total responsabilidade do colaborador(a) que o assina. O colaborador(a) o  faz voluntariamente, sendo o único responsável pelos conteúdo expressos em suas contribuições. Textos de colaboradores(as) não refletem necessariamente o ponto de vista e/ou opiniões do Anjos do Brasil.