Hoje João Dória marcou presença no CIAB FEBRABAN, Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras, que acontece até o dia 8 de junho no Transamérica Expo Center. O Prefeito falou sobre a transformação de São Paulo em uma cidade inteligente e sobre as medidas que estão sendo tomadas para alcançar esse objetivo.

“A prova de que estamos realmente engajados nessa missão foi a criação da Secretaria de Inovação e Tecnologia que está sob o comando de Daniel Annenberg”. Dória destaca que a primeira tarefa de Daniel e sua equipe é a desburocratização dos serviços públicos. “Até dezembro de 2018 todos os processos da cidade serão digitais. São Paulo não terá mais carimbo, elástico, papel, cordão e pasta, tudo será feito digitalmente e as pessoas não precisarão mais se deslocar ou comparecer presencialmente para resolver alguma coisa”.

Segundo Dória, dos próprios smarthphones ou computadores, a população poderá solicitar qualquer tipo de serviço da cidade, mesmo que seja a aprovação de uma obra, reforma ou qualquer outra necessidade. Ele afirma que vários outros passos estão sendo adotados nesse sentido e usa como exemplo o Diário Oficial da Cidade, que não existe mais físico, apenas digital, o que gerou uma economia de R$10 milhões por ano, sem contar a economia de tinta e proteção ambiental.

O Prefeito também destaca que para ter uma cidade inteligente é preciso trabalhar em conjunto e não isoladamente. “Já começamos e estamos evoluindo e integrando não apenas as secretarias e as empresas, mas também o Governo do Estado e Governo Federal. Também contamos com o apoio de Instituições, Universidades, empresas de tecnologia brasileiras e de fora do País para a implantação do programa São Paulo Cidade Inteligente”.

Laércio Albuquerque, Presidente da Cisco no Brasil, estava no auditório acompanhando a apresentação e foi citado como exemplo pelo prefeito. A Cisco doou R$300 milhões para serem utilizados em iniciativas de digitalização do ensino público. “Trata-se da maior doação à cidade de São Paulo na história”, afirmou Dória.

Referente a educação, o Prefeito deseja que todas as escolas municipais eliminem o uso da lousa e do giz e passem a usar tablets a partir do próximo ano. Ele afirma que esse é um desejo dos próprios alunos, e que precisa estar alinhado com a reciclagem e treinamento dos professores e gestores de escolas públicas municipais.

Na questão de segurança, Dória destaca que São Paulo é a terceira capital do mundo que possui um serviço de vigilância por drones. Trata-se do “Dronepol”, programa feito em parceria com empresas de tecnologias chinesas e que já está em operação na cidade. O Prefeito conta que tiveram a aprovação da ANAC, fizeram treinamento com os policiais da guarda civil e hoje cinco drones estão fazendo a segurança da área do centro de São Paulo, inclusive a região da “nova cracolândia”. “Os traficantes podem não saber, mas estamos vigiando a Praça Princesa Isabel 24 horas por dia. São cinco drones em operação de R$350 mil reais que contam com alta tecnologia, câmera de alta capacidade e que ajudará em ações mais precisas da polícia”.

Dória também falou sobre a implantação do Poupa Tempo digital nas periferias da cidade, como uma maneira de incentivar o empreendedorismo. “Segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas, hoje 73% dos jovens não querem ter um emprego, querem empreender e ser donos de seus negócios”, afirmou o prefeito.

João Dória também relembrou o lançamento do programa Empreenda Fácil, que reduziu o prazo de abertura e licenciamento de empresas, que antes levava 128 dias. “É um absurdo completo demorar todo esse tempo para abrir uma empresa na maior cidade do País, maior cidade da América Latina e que quer ser a maior capital do mundo”. Ele destaca que a meta é baixar de sete para cinco dias até o final deste ano e que em maio de 2018 seja possível abrir uma empresa em São Paulo em apenas dois dias.