* Por Diego Melo

Em um mundo onde se busca performance, produtividade, fazer cada vez mais gastando cada vez menos, uma série de métodos são criados com o intuito de otimizar processos.

Cada vez mais em voga, o Design Thinking vem sendo uma metodologia bastante usada por apresentar resultados em um curto espaço de tempo. Mas o que de fato é o Design Thinking?

Como aplicar essa metodologia e melhorar os resultados obtidos da sua empresa ou produto desde já?

Design thinking é um método prático-criativo de solução de problemas ou questões, com vistas a um resultado futuro.

O termo foi criado em 1969, mas ficou conhecido na última década pelo uso constante no mundo corporativo para busca de soluções inovadoras principalmente na forma de pensar e resolver problemas.

De forma sucinta, o Design Thinking se propõe a mudar a forma de olhar para o problema.

O design thinking propõe que um novo olhar seja adotado ao se endereçar a problemas complexos, com um ponto de vista mais amigável que permita colocar as pessoas no centro do desenvolvimento de um projeto e gerar resultados que são mais desejáveis para elas, mas que ao mesmo tempo financeiramente interessantes e tecnicamente possíveis de serem transformados em realidade.

O Design Thinking não é uma metodologia com processos e etapas divididos ou sequencialmente ordenados. Ele se adequa a cenários diferentes transformando a maneira como os indivíduos envolvidos vão interpretar o conjunto problema x solução .

A metodologia pode ser dividida em 4 momentos, sendo eles:

Imersão

Começa quando a equipe tem ciência de um problema tomando o entendimento através de perspectivas distintas. Primeiramente, através da imersão preliminar, se busca pesquisas, referências, limitações, escopo, requisitos.

A partir disso é possível levantar insumos para imersão em profundidade. Segue-se explorando o cenário em que o problema está inserido, através de pesquisas com usuários, análises de medidores quantitativos, parametrização e coleta de dados. Assim são geradas conclusões e insights.

Análise síntese

Todo conteúdo gerado na fase de imersão, seja ele específico ou subjetivo, deve ser organizado. O objetivo é criar a identificação de padrões e fluxos lógicos que possibilitem melhorar o entendimento do problema em questão. Isso pode ser feito em forma de card board, ou em diagramas.

A criação desses fluxos permite, além de uma visualização macro do problema, expressar de forma física como a solução e o problema interagem a partir de pontos de vistas diferentes. Facilita também reconhecer afinidades, proximidades, similaridades e dependências através de um organograma de visualização gráfica geral por essa organização, identificando critérios norteadores e diretrizes pro projeto.

Ideação

É o momento de definição do público-alvo. Esse passo é extremamente importante quando se trata de um projeto de desenvolvimento ou criação de produtos.
A partir daí começa o processo de criação de ideias e soluções baseado nos insumos e entendimentos criados nas fases anteriores.

Processos como brainstorming e sessões de cocriação entre os membros envolvidos, usuários e outros profissionais que tenham conhecimento na mesma área, podem enriquecer ainda mais o resultado final.

Prototipagem

Nesse ponto as melhores ideias apresentadas no momento de ideação começam a tomar forma. O importante nesse ponto é agilidade tanto para criar como para pivotar e voltar a etapas anteriores do processo até a validação final. A ideia é que todo grupo pode ir e voltar de diferentes momentos do processo, e até mesmo ter etapas acontecendo de forma simultânea para chegar mais rápido a validação final.

Não é a toa que o Google e outras startups começaram a usar o Design Thinking. Ele amplia as possibilidades de resultado a curto prazo trazendo soluções realistas que podem ser aplicadas pelo time envolvido. E o melhor, proporciona agilidade na busca de soluções.

Existem hoje consultorias, gurus que oferecem maneiras de aplicar o design thinking como processo.

Mas a uma das principais vantagens dessa metodologia é que além de intuitiva você pode aplicar sem necessitar de ferramentas complexas ou processos meticulosos. Basta juntar os envolvidos, ter um quadro ou papel e canetas e já é possível obter melhoria nos resultados obtidos ou a solução para um problema existente!

É justo dizer que para níveis mais completos de aplicação, o auxílio de profissionais com experiência e capacitação na metodologia gera resultados maiores, principalmente a médio e longo prazo!

Sua empresa usa ou pensa em usar o Design Thinking?
Tem alguma dúvida ou quer dividir sua experiência?

Deixe um comentário e vamos aumentar nosso leque de conexões e conhecimento!


Designer, empreendedor, curioso e típico libriano. Sniper nas horas vagas, e  sonhador fulltime! Vê na tecnologia uma oportunidade de melhorar a vida das pessoas! Gosta de ler sobre desenvolvimento humano e nas horas pagas é o responsável pela concepção criativa de produtos na Usemobile. Pode ser visto comendo queijos e tomando Jägermeister no instagram @dodiegomelo.