A Nama, startup participante das duas turmas de residentes do Google Campus, realizou nesta quarta-feira (5) um evento no hub para anunciar a nova versão de seu chatbot. O evento “Inteligência Artificial para facilitar a vida dos cidadãos” foi o primeiro realizado pela startup e contou com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do presidente do Google Brasil, Fabio Coelho.

O Poupinha, atendente virtual que realiza agendamentos no Poupatempo, tem apenas três meses de funcionamento e já atende uma média de 5,6 mil usuários por dia. De acordo com o Governo do Estado, já foram mais de 540 mil chats pelo portal do programa e pelo Facebook – totalizando mais de 8,5 milhões de mensagens trocadas – e mais de 218 mil agendamentos concluídos exclusivamente pelo chatbot. Seguindo esta proporção, até o fim de 2017, 2% de toda a população paulista terá utilizado serviço da Nama com sucesso.

Na versão 2.0, a capacidade do chatbot de prestar atendimento aos usuários do serviço será ampliada. Em funcionamento a partir de hoje o robô, além de realizar agendamentos, também poderá tirar dúvidas frequentes sobre o serviço mais procurado do Poupatempo: a Carteira de Identidade. Em breve, ele será capaz também de informar sobre outros serviços, como CNH e Atestado de Antecedentes.

Inteligência Artificial

“A Nama nasceu com o objetivo de fazer com que humanos e máquinas pudessem conversar. Para entendermos o motivo disso, primeiro temos que entender que o consumidor mudou. Um conceito que fala sobre isso é o de ‘micro-momentos’. Isso significa que nossas ações no mundo digital estão acontecendo em instantes de impulso, sem planejamento. E o melhor jeito para você se relacionar com este usuário nestes momentos é através da conversa. As pessoas estão preferindo cada vez mais usar chats. 41% dos brasileiros prefere esta forma de se relacionar com empresas do que por telefone ou email”, explica Rodrigo Scotti, CEO da startup.

E a prova de que a Nama está no caminho certo para o sucesso desta interação humano-máquina é que o Poupinha parece estar agradando os usuários, mostrando que entende suas necessidades e atende suas demandas. Segundo dados da startup e do Poupatempo, o chatbot já recebeu mais de 50 mil mensagens de agradecimento. Ou seja, 23% dos que são atendidos pelo robô terminam uma conversa com frases que vão desde “obrigado” a centenas de “Deus te abençoe”.

“Isso é muito legal, porque quando nós olhamos este histórico e vimos que as pessoas estavam começando a ter um relacionamento emocional com o chatbot, agradecendo e até pedindo para ele ser abençoado, nós vimos que estávamos provando muitos dos conceitos que já vínhamos falando”, comemora Rodrigo.

Rodrigo Scotti, CEO da Nama, fala do evento sobre Inteligência Artificial promovido pela startup:

Governo estadual

O governador Geraldo Alckmin participou do evento para assinar o contrato de financiamento da agência de fomento paulista Desenvolve SP com a Nama, no valor de R$1,4 milhão. A linha de financiamento utilizada foi a Inovacred, da Finep, com taxa de 0,60% ao mês, e prazo de até oito anos para o pagamento, que inclui dois anos de carência.

“Apoiar a inovação é contribuir para o crescimento de São Paulo. Projetos como o da Nama são importantes não só para a empresa que tomou o financiamento, mas para toda a sociedade, que poderá contar com serviços públicos mais eficientes”, diz Milton Luiz de Melo Santos, presidente da Desenvolve SP.

“Hoje o Poupatempo é um dos serviços públicos mais bem avaliados do Brasil. São 72 unidades até agora. Mas eles ainda são prédios, as pessoas ainda tem que se deslocar até lá, o que demanda tempo e custo. Em 2015 nós lançamos o Pitch Gov e falamos para as startups ‘venham nos ajudar, queremos novas soluções’. (…) Com isso, a gente espera que um dia as pessoas nem precisem ir até lá no Poupatempo”, diz Geraldo Alckmin.

Um segundo documento também foi assinado na ocasião. Um protocolo de intenções entre a startup e o governo estadual, por meio da Fapesp – Fundação de Apoio à Pesquisa de São Paulo -, que visa a troca de cooperação mútua na área de pesquisa voltada à inovação tecnológica de relevância pública.

José Goldemberg, presidente da Fapesp, anunciou que os recursos que a fundação oferece são divididos em duas fases. “A primeira delas, uma vez analisado e aprovado o projeto, são R$200 mil reais de investimento. Esta fase tem o prazo de um ano, para que estas ideias de inovação sejam testadas. Se elas derem resultados encorajadores, a Fapesp investe mais R$1 milhão”, completa.

O STARTUPI transmitiu o evento completo e ao vivo. Quer assistir ou rever alguma parte? Dê o play abaixo:

Parte I

Parte II: