Parcerias com grandes empresas são capazes de determinar o sucesso de pequenos negócios, avaliaram representantes de cinco companhias inovadoras durante uma mesa redonda sobre a importância desse tipo de colaboração para o empreendedorismo industrial. O evento, realizado na sede do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em Brasília, fez parte do lançamento do novo Edital de Inovação para a Indústria, que irá investir este ano R$53,6 milhões aportados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), pelo Sebrae e pelo Serviço Social da Indústria (SESI).

Destinado a promover a cultura de inovação e aumentar a produtividade das empresas, o Edital de Inovação para a Indústria possui uma nova categoria denominada Empreendedorismo Industrial – Inovação na Cadeia de Valor. A intenção é fomentar a colaboração entre grandes indústrias e startups de base tecnológica, micro e pequenas empresas (MPE e MEI). “O objetivo é que, ao final de 12 meses, o protótipo resultante do projeto inscrito no Edital seja o instrumento para construir confiança entre grandes empresas e startups de base tecnológica”, explicou o gerente-executivo de Tecnologia e Inovação do SENAI, Marcelo Prim, ao apresentar a nova categoria. “Precisamos criar um ambiente de confiança que conecte esses mundos por meio de temas comuns”, completou.

Grandes indústrias poderão apresentar, a qualquer momento, desafios a serem solucionados por startups, micro e pequenas empresas que inscreverem projetos no site do Edital. A previsão é que, no dia 10 de cada mês, seja divulgada uma chamada temática para um desafio específico. Entre as soluções apresentadas, a instituição âncora escolherá com qual empresa quer trabalhar. Cada projeto recebe investimento de até R$400 mil. “Acreditamos que projetos de P&D de pequenas empresas que já tenham foco de mercado, desenvolvidos para atender uma sinalização de médias e grandes empresas, certamente terão muito mais chances de chegarem ao mercado e trazerem resultados financeiros para as pequenas empresas”, avaliou o gerente de Inovação do Sebrae, Célio Cabral.

Receita de sucesso

O diretor da RG Engenharia, empresa criada há quatro anos, Rodrigo Marchesi, definiu como “extremamente importante” a iniciativa da categoria do Edital, que poderá até determinar o sucesso de alguns negócios. “Quantas empresas morreram no estágio do 3D no computador, sem chegar a um protótipo para demonstrar a solução a seu cliente final?”, analisou ele, durante o debate.

Do ponto de vista das grandes indústrias, iniciativas que estimulem parcerias também são bem-vindas, elogiou o gerente de Sistemas de Inovação da Natura, Leonardo Garnica. “A nova categoria do Edital vem em boa hora. Muitas vezes falta uma alavanca para que as startups realmente se engajem com a grande empresa e que haja recursos para tracionar uma agenda logo no início”, avaliou.

O representante da Samsung, Marcos Margon, acredita que a nova categoria do Edital vai complementar o programa de aproximação com startups mantido pela empresa. “O diálogo entre uma pequena e uma grande empresa não é trivial. Demanda esforços das duas partes. Como é que uma grande empresa paralisa sua operação e vai vasculhar o mercado à procura de soluções tecnológicas? O Edital vem nesse sentido, de localizar essas startups. Acreditamos que essa iniciativa pode ser bastante complementar ao programa da Samsung”, analisou.

Criador de uma empresa nascida em uma garagem que chegou a atuar em sete países, o atual diretor de Operações da Microsoft Participações, Franklin Luzes, afirmou que é fundamental para jovens empreendedores desenvolverem produtos na fronteira tecnológica. “O grande diferencial de uma nova empresa é ser tão boa quanto qualquer empresa de qualquer lugar do mundo. Temos de estar sempre à frente, antenados com o que existe de mais inovador no mundo, e o Edital vai ajudar as empresas a desenvolver o que existe de mais moderno”, aconselhou. O diretor da Fumajet, Marcius Victorio Costa, destacou ainda a relevância do apoio financeiro do Edital no atual cenário de dificuldades econômicas no Brasil. “O recurso do Edital é muito importante, em um momento de falta de dinheiro para fomento no país”, destacou.

Potencial inovador

Neste ano, a meta do Edital de Inovação para a Indústria é financiar 285 projetos com custo individual de R$75 mil a R$400 mil, em seis categorias. As propostas serão selecionadas em três ciclos com base em critérios como potencial de inovação e de comercialização do produto ou do processo. Toda e qualquer empresa do setor industrial e startups de base tecnológica podem inscrever propostas.

Além do fomento, o SENAI e o SESI oferecem apoio na forma de infraestrutura. Uma rede nacional com 25 Institutos de Inovação realiza pesquisa tecnológica e desenvolve novos produtos e soluções diretamente com empresas de todos os portes. O SENAI conta ainda com 57 Institutos de Tecnologia com 1,2 mil especialistas que prestam serviços em áreas como metrologia, testes de qualidade, consultoria em processos produtivos específicos de diferentes setores, entre outros. Parcerias com Institutos de Ciência e Tecnologia, a maioria presentes em universidades públicas, também ajudam a concretizar as ideias selecionadas.

ACOMPANHE AS FASES DO EDITAL DE INOVAÇÃO PARA A INDÚSTRIA:

Período de submissão das categorias A e B:
De 20 de março a 6 de novembro de 2017, empresas interessadas no financiamento podem apresentar propostas.

Anúncio das seleções das categorias A e B:
Os resultados são apresentados em três datas: 24 de julho e 6 de novembro de 2017 e 19 de fevereiro de 2018

Apresentação de desafios por instituições-âncora na categoria C:
De 20 de março de 2017 a 27 de janeiro de 2018 no endereço www.editaldeinovacao.com.br. Os selecionados são anunciados ao longo do ano.

Período de submissão das categorias D, E e F:
De 20 de março a 23 de agosto de 2017, empresas interessadas no financiamento podem apresentar propostas.

Anúncio das seleções das categorias D, E:
Os resultados são apresentados em 16 de novembro e 5 de fevereiro de 2017.

Anúncio das seleções da categoria F:
Os resultados são apresentados em 1º de julho e 5 de outubro de 2017