O Brasil e a China estão entre os quatro maiores mercados de internet do mundo. Para realizar um intercâmbio entre estes dois gigantes e tão distintos mercados, a recém lançada Agência de Promoção de Negócios Digitais entre Brasil e China – CBIPA (China Brazil Internet Promotion Agency) realizará, no dia 30 de maio, em São Paulo, o maior encontro já feito entre executivos da indústria de internet dos dois países.

Mais de cinquenta executivos de grandes companhias online, analistas financeiros, investidores e gestores de fundos de investimento estarão no WTC, em São Paulo, para apresentar cases de inovação da indústria digital chinesa e para conhecer oportunidades de parcerias e investimentos no Brasil.

Entre os brasileiros, participarão 400 fundadores de empresas de tecnologia e CXOs de startups de sucesso para troca de experiências, networking e aprendizado com seus pares asiáticos.

A China, além de ser o maior parceiro comercial do Brasil desde o início dos anos 2000, é também o maior mercado de internet do mundo, não só em número de usuários mas também em itens como fonte de capital de risco e faturamento com comércio eletrônico e pagamentos móveis.

Em entrevista ao STARTUPI, IN Hsieh, CEO e um dos fundadores da entidade, diz que o objetivo da CBIPA é dar visibilidade e acesso às oportunidades de investimentos e negócios entre investidores, startups e grandes companhias digitais dos dois países. “Temos possibilidade de receber muitos recursos chineses que não chegam por desconhecimento dos dois lados e claro pelas dificuldades naturais dos respectivos mercados”, explica.

Ele diz que a Agência viabilizará investimentos, aquisições e outros negócios que muitas vezes não acontecem por falta de acesso entre ambos os mercados. “É grande o risco do Brasil e das startups locais acabarem perdendo a oportunidade de capturar uma fatia do grande mercado investidor que se tornou a China. Em termos de venture capital, já movimenta mais recursos do que os EUA.”

Evento

De acordo com o CEO, a CBIPA é a única entidade tanto no Brasil quanto na China a realizar este diálogo entre ambos, porque conta com profissionais com experiência empreendedora e executiva nos dois países, inclusive já tendo feito tanto aquisições e investimentos quanto captação com investidores chineses.

“Conhecemos as oportunidades, temos os contatos e temos profundo conhecimento das diferenças culturais e nuances para se fazer negócios com chineses”, diz. Além do evento Chinnovation 2017, a Agência também criou um braço de assessoria financeira que ajudará nas transações de fund raising, investimentos ou aquisições. Para ele, Brasil e China tem muitas particularidades, por isso este pilar terá profissionais capacitados para viabilizar esses negócios.

No segundo semestre deste ano, os planos são de promover algumas missões à China, entre elas o Brazil Internet Investment Tour, um road-show para apresentação de projetos e negócios diretamente aos investidores e grandes empresas chinesas.

Para o evento em São Paulo, já estão confirmados grandes nomes chineses, empresas de capital aberto e fundos early-stage com mais de US$100 milhões para investir, além de unicórnios com mais de um bilhão de usuários em sua base.

Para o dia 30 de maio, no WTC, IN conta que são esperados empreendedores, investidores e executivos de empresas digitais brasileiras e companhias tradicionais que querem entender as oportunidades – e eventuais riscos – que o mercado chinês de internet representa.

Fomento

Yan Di, presidente da CBIPA, falou ao STARTUPI que o mercado de startups e empreendedorismo brasileiro tem muito a aprender com o chinês. “O mercado na China é mobile first porque sabe muito bem trabalhar com mobilidade e aproveitar a densidade populacional, que traz um grande potencial comercial. O Brasil tem uma grande semelhança com a China nestes âmbitos e pode usar o mercado de lá como espelho para crescer aqui”, diz.

“O Brasil e a China já têm uma história de boas relações comerciais, mas só agora tivemos a oportunidade de criar esta entidade para fortalecer esta conexão. Acreditamos que o segmento digital de ambos os mercados só têm a crescer com o apoio da CBIPA”, diz o presidente.

“Queremos dar visibilidade ao mercado brasileiro sobre o que está acontecendo na China, entender os riscos e oportunidades pro Brasil. Sua empresa poderá ter que concorrer com startups chinesas super bem capitalizadas, com dezenas ou até centenas de milhões de usuários ou você pode decidir se aliar a essa tendência. É uma decisão de cada um mas o importante é ter consciência desse movimento para não ser atropelado”, completa IN Hsieh, CEO da CBIPA.

Veja abaixo alguns números de mercado sobre o desenvolvimento da indústria chinesa de internet:

  • Maior mercado online do mundo: 700 milhões de usuários
  • Maior e-commerce do mundo: US$ 3.1 trilhões anuais, o que representa 182 vezes mais que o do Brasil
  • Maior mercado de mobile payment: 200 milhões de usuários que movimentam US$ 235 bilhões anuais
  • Maior fonte de Venture Funding do mundo: US$ 100 bilhões investidos só em 2016
  • Sede de 4 das 10 maiores empresas de internet do mundo com capital aberto na NASDAQ
  • Sede de 4 das 10 maiores unicórnios do mundo