O gigante do varejo quer acelerar drasticamente o seu desenvolvimento de tecnologia de varejo. Para fazer isso, a companhia acaba de anunciar que lançará o Store No. 8, um cluster de inovação cujos empresários estarão livres dos diktats – ou seja, exigências impostas pelo concorrente mais forte – de suas matrizes de Bentonville, Arkansas e Wall Street, para desenvolver a tecnologia de varejo e para se modernizar nos próximos cinco a dez anos. E, mais crucial, a tecnologia é destinada a ajudá-lo a lutar contra rivais como Amazon.com.

O Store No. 8 ficará situado no Vale do Silício e abrigará startups, mas funcionará de forma independente do Walmart. Esta é a mais recente manifestação da nova e dinâmica cultura que o Walmart pretende instalar em sua estratégia de comércio eletrônico sob a liderança de Marc Lore, cuja loja online Jet.com o Walmart comprou no ano passado por US$3 bilhões . “Não estamos focando apenas no hoje, podemos pensar muito maior”, disse Lore na conferência Shoptalk em Las Vegas.

Embora a varejista não tenha revelado o valor do investimento na nova incubadora, Lore apresentou alguns detalhes sobre o objetivo da nova empreitada. A ideia é a realização de parcerias com startups, empresas de capital e acadêmicos para promover inovação em robótica, realidades virtual e aumentada e inteligência artificial, entre outras tecnologias. A empresa também irá operar de forma independente do Walmart e do seu braço de pesquisa, a WalmartLabs, em São Francisco.

O comércio eletrônico do Walmart está aquecido ultimamente: a expansão de seus mercados tem atingido um crescimento online – a venda digital da companhia subiu quase 30% durante as férias. E nos últimos dois meses apenas, o Walmart comprou três varejistas (ModCloth, ShoeBuy e Moosejaw) para diversificar sua oferta online.

“Às vezes você investe nessas grandes ideias transformadoras que talvez não estejam prontas para o horário nobre de hoje”, disse Seth Beal, executivo Walmart de quatro anos que lidera a iniciativa Store No. 8 com Katie Finnegan, chefe de estratégia da Jet.com.

“Como fazer um lugar seguro para os empresários para ir inovar em torno dessas ideias?” Beal acrescentou. Mas Finnegan disse que ela e Beal, juntamente com os executivos do Walmart ocasionalmente, iriam regularmente checar o espaço para se certificarem de que eles estão desenvolvendo soluções com aplicações práticas.

As informações são do Venture Beat