*Por Adam Patterson

Até agora, na série Startupi “Startup Finance 101“, examinamos a importância (e os desafios) do valuation de startups, dicas sobre como projetar vendas e analisar seus unit economics. O principal objetivo é compartilhar as melhores práticas na modelagem e avaliação financeira de startups. Neste post, vamos “go back to basics” e entender o que é um modelo financeiro e por que cada startup precisa construir um (e desfrutar!).

Antes de mais nada, quando falamos de um “modelo financeiro” o que queremos dizer? Essencialmente, é um modelo matemático projetado para representar uma versão simplificada da realidade de um ativo financeiro, negócio ou mercado, como eles funcionam e seu desempenho futuro. Modelagem financeira é então a tarefa de construir está “representação abstrata” (ou seja, um modelo) de uma situação financeira do mundo real.

O modelo possui inputs e outputs. Os inputs são os pressupostos que impulsionam o modelo, tais como aquisição de clientes, custos e comportamento do mercado, enquanto os outputs são projeções de crescimento ou retornos de investimento com base nesses eventos e suas alterações.

O valor de uma startup é baseado na sua narrativa e como isso se converte em valor agregado potencial. Assim, um modelo financeiro sólido é uma das maneiras pela qual sua empresa pode contar sua história e comunicar aos investidores e colegas que você é um pensador lógico com um plano defensável e que você leva a sério a alocação de capital de investidores. Por definição, a maioria de seus assumptions e as previsões subsequentes se tornarão “erradas”. Isso está OK.

O objetivo de um modelo financeiro não é ser “correto”, mas entender melhor a mecânica de negócios, sua indústria e os riscos potenciais para que você possa tomar decisões mais inteligentes. Sem mencionar projetar os burn rates de caixa. Assim, os resultados não são tão importantes quanto o “processo de pensamento” por trás dos números e gráficos. Seu modelo financeiro mostrará como você pode converter sua narrativa em números.

Startuppers são apaixonados por seus produtos e ideias, mas em geral nem tanto por modelos financeiros! Ainda assim, podem ser ferramentas valiosas para ajudar a vender sua visão. São então seu road-map e um dos exercícios fundamentais em seu “to do list”. Antes de configurar a empresa, antes de falar com investidores potenciais, você deve ter um modelo financeiro em funcionamento.

Em resumo, aqui são alguns dos principais benefícios:

  • Sua ideia é viável? Quanto você precisa potencialmente vender para atingir o break even mesmo? Olhar para os números irá ajudá-lo a ver se suas ideias são plausíveis e fazem sentido.
  • Fornecer uma visão holística de seu modelo de negócios, operações financeiras e seu mercado e pensar sobre todas as variáveis potenciais que podem impactar positivamente ou negativamente o seu negócio.
  • Ajudá-lo a pensar e acompanhar seus indicadores de desempenho, momentum e métricas de valuation desde o início.
  • Validação de pressupostos, modelo de negócio e estratégia.
  • Um modelo financeiro mostra que você tem um plano convincente para alcançar seus objetivos.

Um modelo financeiro sólido consiste em assumptions bem pensados e fundamentados e projeções sobre o futuro do seu negócio em um formato bem estruturado, compreensível e dinâmico. Pode ser na visão “Top Down” ou “Bottom up”. O que é importante é que você conheça seus números. Saber como eles funcionam e o que isso diz sobre a empresa e a indústria. Bem como mostrar como você pesquisou o mercado e os cenários utilizados.

Por exemplo, qual é a taxa média de churn de aquisição de cliente do setor? Qual market share você está projetando em seu basecase? O que acontece se o seu crescimento de receita é apenas 50% da prevista? Quanto mais você conhece seu modelo e seus números, mais você pode comunicá-lo a sua equipe, investidores e parceiros. É por isso que é sempre recomendável montar um modelo a partir de zero. Comece de uma maneira simples, mas comece!

Elaborar um modelo financeiro robusto é sempre um exercício válido porque fará com que você pense, analise e compreenda o seu negócio dando-lhe tanto uma visão micro quanto o big picture view de trajetórias futuras esperadas, insights valiosos que podem ajudá-lo a tomar decisões mais informadas.


Adam linkedinAdam Patterson é economista britânico, graduado em Ciências Políticas e Estudos Parlamentares pela Universidade de Leeds e pós-graduado em Economia e investimentos pelas universidades de Londres e  o Instituto Real de Investimentos do Reino Unido. Trabalhou na equipe de valuation do HSBC e no parlamento britânico.  Adam é sócio-fundador da ALFA Valuation, empresa especializada no valuation e planejamento financeiro de startups. A ALFA foi idealizadora e criadora da ferramenta i-Valuation, o pioneiro portal online para o valuation de startups & PMEs no Brasil.