*Por Marcelo Amorim

Todo empreendedor quer saber quais critérios os investidores adotam para não investir em uma startup. Para ser sincero, provavelmente o problema não é você, nem seu modelo de negócio. É o seu time.

Saiba quais são os principais fatores que afastam os investidores da sua empresa e aprimore seu time para aumentar as chances de conquistar aportes:

1 – Empreender sozinho

Para começar, o ideal é que você não empreenda sozinho. A experiência me fez perceber que equipes de sócios complementares entregam, em média, resultados superiores a empreendedores solitários. Tocar um negócio não é tão fácil, são várias as tarefas: contratar, revisar números, cumprir obrigações, desenvolver o produto, vender, pensar fora da caixa, pensar no dia seguinte e também no futuro da empresa e das pessoas. Essas ações dão pouca margem para erro e são muito numerosas para serem responsabilidade de um único empreendedor.

2 – Não ter dedicação exclusiva ao negócio

Se os sócios não têm dedicação exclusiva ao próprio negócio, nem pensamos duas vezes, o investimento é automaticamente descartado. Com tantas funções a serem desempenhadas numa empresa nascente, quando o tempo dos empreendedores precisa ser dividido com outro emprego é muito difícil que ela prospere.

3 – Letargia

Eu prefiro segurar um empreendedor que não consegue ficar parado a empurrar alguém que não se mexe para fazer as coisas acontecerem. Empreender exige muito suor e força de vontade, não dá para ficar na letargia. Ao ter um negócio próprio, tudo depende de você – o produto/serviço não será desenvolvido e vendido sozinho. Se você não tem esse perfil, é melhor continuar sendo funcionário.

4 – Não dominar o plano de negócios

Nada é tão fácil de perceber quanto um empreendedor mal preparado. Fica muito evidente, seja na apresentação ou nas primeiras perguntas, o nível de domínio que as pessoas têm do mercado, das necessidades do cliente e da própria empresa. O empreendedor deve estudar muito o seu próprio plano de negócios: é muito comum o investidor fazer perguntas e não ter respostas, seja por falta de uma simples pesquisa ou porque a equipe não domina as métricas mais básicas.

5 – Startup sem líder

Mesmo com sócios executivos com participações societárias iguais, uma empresa precisa de alguém que se responsabilize pela liderança, que toque o bumbo e represente a empresa tanto para o mercado quanto para o conselho de administração. Um líder que consiga dialogar entre o operacional e o estratégico e saiba montar um bom time. Geralmente essa função é ocupada por apenas um dos sócios, mas existem situações em que essas responsabilidades podem ser divididas entre dois ou mais sócios.

6 – Achar que sabe tudo

Ninguém sabe tudo, embora alguns candidatos a investimento pareçam acreditar nisso. Como é impossível ter todo o conhecimento e habilidades necessárias para fazer uma empresa crescer muito e muito rápido, é vital que o empreendedor mostre que ainda tem muito a aprender. Também é fundamental saber reconhecer quando você não é a pessoa certa para uma missão e estar aberto a contratar alguém.

Com essas questões resolvidas, é hora de apresentar seu negócio ao investidor. Seja você mesmo, não tente criar uma persona. E não esqueça de apresentar o seu time. Não fale apenas dos cargos dos sócios e pessoas-chaves, mas também as responsabilidades e as metas de cada um e há quanto tempo trabalham juntos. Feito isso e com um bom modelo de negócio validado, com certeza a sua empresa será lembrada pelos investidores.

*Marcelo Amorim é sócio da Bzplan