*Por Conube Contabilidade Online

Um candidato a futuro empresário tem vários receios e dúvidas, questionamentos que certamente ele se faz antes de iniciar uma possível jornada empreendedora. Será que eu saberei liderar e administrar minha empresa? O meu produto ou serviço será aceito pelo mercado? Saberei usar as estratégias corretas para divulgar minha marca e conseguir tração? E entre essas inúmeras perguntas que vão surgir, sem dúvidas uma aparecerá: Será que eu vou conseguir controlar o fluxo de caixa da minha empresa?

Se esse medo surgir – e ele vai surgir – não se desespere, empreendedor! Primeiramente porque é absolutamente natural, e até positivo, que haja essa preocupação. E em segundo lugar, porque é algo perfeitamente controlável, desde que você não cometa alguns erros que podem, de fato, atrapalhar o seu negócio e muitas vezes colocar a perder anos de preparação e de trabalho. Pois bem, neste post você conhecerá os 5 erros mais comuns que os empreendedores cometem ao controlar o fluxo de caixa nas empresas e também conhecerá algumas dicas importantes para evitá-los. Confira!

  1. Misturar finanças pessoais com as da empresa

Isso é um erro muito comum em todos os momentos da jornada empreendedora, mas é ainda mais provável que ocorra no início das atividades da empresa. E há uma explicação lógica para isso: esse é um momento que dificilmente o negócio já terá gerado um lucro suficiente para equilibrar as contas. Outras fontes de recursos, como captação de investimentos, por exemplo, também tendem a vir depois de alguns meses. Portanto, é muito normal que o empreendedor cometa esse erro básico ao controlar o fluxo de caixa da empresa, ou seja, misturar finanças pessoas e finanças da empresa.

O antídoto para esse problema é um planejamento financeiro correto. Isso passa por estipular todos os gastos da empresa, incluindo os impostos e taxas. Assim, você terá um maior controle do que se ganha e do que se gasta obrigatoriamente, as despesas recorrentes. Ocorre que sem a segregação das contas de pessoa física dos sócios com as da pessoa jurídica (a empresa), esse controle se torna praticamente impossível e o negócio certamente está fadado ao fracasso. Tome muito cuidado com isso. Aí também vem a importância fundamental de segregar a conta corrente dos sócios com a conta da empresa.

  1. Não definir objetivos financeiros

A jornada empreendedora é uma loucura. Isso não é segredo para ninguém. Tem sempre muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. E em meio a esse turbilhão de ações, atividades, reuniões, treinamentos, entre tantos outros compromissos, muitas vezes a empresa vai simplesmente acontecendo, às vezes evoluindo até que bem, outras estagnada ou até regredindo, mas o empresário e seus sócios não conseguem parar para pensar em uma questão muito importante: afinal, aonde quero chegar com essa empresa do ponto de vista de finanças? Ou seja, quais são meus objetivos financeiros?

Por mais que o futuro seja incerto, caminhar sem uma direção não é nem um pouco recomendável. É essencial traçar metas e objetivos, até porque se não for assim não haverá parâmetro para se avaliar o desenvolvimento da empresa. Dentro disso, defina objetivos relacionados a lucros, fazendo relatórios por períodos, mensais, trimestrais, semestrais e anuais, a curto e médio prazos. Também é importante estabelecer possíveis reduções de custos para controlar o fluxo de caixa. Aliás, há uma diferença entre metas e objetivos: a meta é aquela de um período mais curto e objetivos normalmente têm prazos maiores e focam em resultados mais amplos.

  1. Estabelecer um padrão de vida fora da realidade

Você pode estar pensando: “Ué, mas se eu não misturar as finanças pessoais com as empresariais não importa o tipo de padrão de vida que eu vou ter”. É aí que começa um outro erro crucial que pode, por tabela, comprometer todo o fluxo de caixa da empresa. A explicação é muito simples. Pode acontecer de o empreendedor querer levar uma vida acima do que seu atual momento permite, isso quer dizer gastar muito com viagens, restaurantes caros, roupas e joias de luxo e por aí vai. Mas se ele é o dono da empresa, da onde vai tirar esse dinheiro? Mesmo sem misturar as finanças, ele pode optar por ter o chamado pró-labore, que é o salário dos sócios. Ou seja, isso vai impactar nas finanças do negócio.

A solução é se conscientizar em reduzir os gastos com esse padrão de vida elevado, se adequar ao momento e focar nos objetivos a longo prazo, que passam por isso. Pode-se estabelecer um pró-labore mais baixo, pelo menos até a empresa ganhar uma tração interessante. Também existe a distribuição de dividendos, que é feita apenas em cima do lucro que a empresa obtém, já descontadas todas as despesas, todos os impostos e demais custos. Lembre-se: você tem metas e objetivos a serem alcançados e você deve abdicar de algumas regalias em prol do sucesso de seu negócio.

  1. Tentar fazer tudo sem um auxílio profissional

Bom, com todas essas informações e dicas, dá para imaginar que controlar o fluxo de caixa da empresa está longe de ser uma tarefa fácil. Acontece muito de empreendedores começarem a querer controlar tudo sozinhos e aí o risco de se perder em meio a tudo isso é muito grande. Sobretudo se imaginarmos que no início a empresa tem um determinado cenário contábil e fiscal, mas esse quadro se modifica a cada dia, o que deixa cada vez mais complexas as contas de uma forma geral.

Então, é altamente recomendável você contar com o auxílio de um bom profissional de contabilidade para essa missão. Desta forma, as movimentações financeiras da sua empresa estarão devidamente documentadas e o acesso a essas informações será muito mais organizado. Além disso, é bom sempre lembrar que o serviço de contabilidade é obrigatório para todas as empresas. Hoje em dia, há soluções muito interessantes de contabilidade online que atendem a vários tipos de empresa dando mais agilidade ao dia a dia das obrigações do negócio perante ao governo e ainda por um valor mais acessível. Vale dar uma olhada se sua empresa pode ser atendida por uma solução como essa.

  1. Não aderir a ferramentas e soluções online

Essa dica ainda segue na linha de raciocínio do “não tentar fazer tudo sem ajuda”. Neste cenário, não se pode ignorar a tecnologia e as diversas ferramentas e soluções online que o mercado oferece para controlar o fluxo de caixa das empresas. Um software de gestão de finanças pode ser de extrema importância. São programas que te auxiliam no controle de seus negócios e suas vendas de forma online e remota, ajudando muito a melhorar os resultados dos negócios. Vale muito a pena pesquisar sobre o assunto e procurar as melhores soluções do mercado. Desta forma, o planejamento financeiro do negócio se torna muito mais efetivo.

E aí? Tirou suas dúvidas sobre como manter o fluxo de caixa da sua empresa? Deixe seus comentários!


conubeA Conube é um Escritório de Contabilidade Online criado sob medida para quem quer abrir empresa ou quem já tem empresa aberta e quer praticidade e tranquilidade para o seu dia a dia. Com a Conube, você emite notas fiscais, acompanha as atividades fiscais e trabalhistas da sua empresa através de uma linha do tempo, gerencia o calendário para pagamento de impostos e tudo com o suporte de experientes contadores. Controle tudo pela internet de forma simples, rápida e interativa.