A Oracle contratou especialistas globais para explorar a viabilidade da compra de consultoria multimilionária Accenture, disseram fontes. As informações são do The Register.

A gigante de banco de dados contratou uma equipe de consultores para realizar a devida diligência para “explorar as sinergias que poderiam ser criadas se a Oracle comprassem ações da Accenture”, afirmou uma fonte.

Além das considerações financeiras, os consultores estão avaliando os prós e contras, incluindo o impacto potencial no canal mais amplo da Oracle.

“Enquanto essas coisas têm o hábito de fracassar lá fora, existem alguns players bastante sérios ao redor desta hipótese”, acrescentou um contato. Outro afirmou que o processo estava numa fase inicial. “Se comprar a Accenture fosse uma corrida de 100 metros, a Oracle teria percorrido de 10 a 15 metros agora.”

A Oracle e a Accenture têm uma longa história de trabalho em conjunto, e há quase dois anos lançou um grupo empresarial com o objetivo de converter mais clientes da tecnologia do velho mundo para serviços web.

Ao abrigo deste acordo, os clientes de ambas as empresas teriam tecnologias e serviços pré-integrados, como avaliações de prontidão em nuvem e migração de dados, soluções e extensões para reduzir a necessidade de personalização.

A Oracle fez todos os novos lançamentos de software disponíveis na nuvem, mas em vez de confiar em empresas externas para prestar serviços de consultoria e profissionais para convencer os clientes a migrarem para a nuvem, a aquisição daria à Oracle bastante músculo internamente para estas atividades.

No entanto, esta compra seria um movimento extremamente corajoso, complicado e caro: a Accenture tem uma capitalização de mercado de US$ 77,5 bilhões, e os acionistas esperam uma oferta premium.

O negócio é muito maior que a compra de US$ 10 bilhões da PeopleSoft pela Oracle, o acordo de US$ 7,4 bilhões pela Sun Microsystems e, mais recentemente, os US$ 9,3 bilhões investidos no Netsuite.

A compra da Netsuite aumentou as vendas de nuvem da Oracle, de acordo comos últimos números trimestrais da companhia, mas a empresa precisa aumentar o número de nuvens orgânicas para compensar as quedas no negócio de licenciamento tradicional.

A partir do primeiro trimestre do exercício fiscal de 2017 da Oracle, que começou em setembro passado, a companhia tinha reservas de caixa de US$ 68,4 bilhões.

No último trimestre, a Accenture registrou vendas de US$ 8,3 bilhões, um aumento de 6% em relação ao ano anterior e uma receita operacional de US$ 1,14 bilhão, um aumento de 5%. As previsões de crescimento foram inferiores às estimadas pelos analistas, pelo que o preço das ações subiu quase 6% nos últimos cinco dias.

Procurada pelo STARTUPI, a Oracle e a Accenture se recusaram a comentar sobre o assunto.