Essa semana aconteceu a 9ª edição da Open Innovation Week, um dos principais eventos de empreendedorismo e inovação aberta que conecta startups e grandes empresas. Durante dois dias investidores, agentes do ecossistema, startups e grandes empresas se reuniram no Espaço de exposições Rebouças com o intuito de engajar e propor novas práticas e metodologias de modelos de negócios para a inovação.

No evento também pudemos conhecer as propostas, estratégias e entender um pouco mais como as empresas estão lidando com a inovação e se relacionando com as startups. Elis de Queiroz, Audience Marketing Manager da Microsoft, destacou a questão da conexão entre o ambiente acadêmico X startups e as mudanças internas que a empresa precisou fazer para acompanhar esse novo momento do mercado.

Como toda grande empresa, a Microsoft conta com departamentos, times e estruturas. A princípio, um grupo olhava para o ambiente acadêmico e fazia toda a conexão com as Universidades e Centros de educação, enquanto o outro, cuidava especificamente do ambiente de empreendedorismo e startups. “Percebemos que tínhamos uma série de atividades com universidades, startups, mas elas não necessariamente estavam se falando e isso começou a nos incomodar. Com base nisso, tivemos uma visão que hoje é levada para todos os líderes da Microsoft que é a jornada empreendedora”. Elis conta que aqui no Brasil a Microsoft precisou mudar a forma com que os times eram estruturados, o que facilitou muito a organização corporativa e a forma como eles trabalham.

Outro ponto destacado por Elis foi em relação as parcerias. “Percebemos que para a  Microsoft sozinha, é muito difícil levar uma iniciativa que consiga permear por todas as nossas audiências. A gente só cresce através de bons parceiros”. Com isso, a Microsoft passou a investir em parcerias e inclusive, começou a conectar os seus centros de Inovação não só com ambientes acadêmicos, mas também com o ambiente empresarial”. Clique aqui e conheça mais iniciativas da Microsoft para fomentar o empreendedorismo.

Franco Vieira, Solutions Architect da HP, que trabalha especificamente com computadores pessoais e impressoras, conta que o DNA de startup prevalece na companhia. A visão atual da HP é baseada em criar tecnologias que melhorem a vida das pessoas, independente de onde estejam, criar experiências que impressionam e continuar se reinventando. “Aqui no Brasil queremos identificar empresas e empreendedores capazes de nos ajudar a entregar essa missão”, comenta Franco.

Ele conta que o mercado está mudando e isso inclui a forma como as pessoas lidam e vão lidar com a impressão e com os computadores pessoais, por isso a HP está se preparando para lançar uma impressora 3D, mas segundo Franco, ela se difere das que existem hoje no mercado e conta com uma tecnologia revolucionária. “Queremos acompanhar esse momento e fazer com que o futuro se torne realidade, e para isso,  já entendemos que precisamos estar em contato com o ecossistema”.

Prova de que a HP está realmente interessada em participar do ecossistema, foi o lançamento do HP Tech Ventures em maio de 2016. O grupo tem interesse em negócios voltados para áreas como impressão 3D, Realidade Virtual, Inteligência Artificial, tecnologia wearable e Internet das Coisas.

Rodrigo Ribeiro, Gerente de Arquitetura, Inovação e Governança do Grupo Boticário, conta que a companhia está acompanhando a mudança dos consumidores, e por isso, seu maior desafio hoje é saber como apoiar esse grupo na transformação digital.

Recentemente a empresa inaugurou o BotiLabs, um espaço para gerar inovação, fazer provas de conceito, ou seja, funciona como uma aceleradora de inovação, um espaço que permite você errar e acertar e atua em duas frentes: parceria com startups e com outros fornecedores. “Estamos reformando o espaço e em breve ele contará com um espaço de coworking para que startups, funcionários e parceiros, trabalhem no mesmo ambiente”, conta Rodrigo.

O evento contou ainda com a presença de John Bell, VP de External innovation and New Business Models da Johnson&Johnson, que demonstrou grande interesse em uma das startups que estava no evento que faz a detecção de doenças utilizando a visão computacional.

Paulo Melo, CEO da Pickcells, startup em que John demonstrou interesse, veio de Recife participar da Open Innovation Week e conta que foi uma experiência indescritível esses dois dias de evento. “Foi excelente! Fizemos diversos contatos e negócios que provavelmente demoraríamos meses ou até anos para conseguir. Sem contar a oportunidade de apresentar o nosso negócio para o VP de Inovação da Johnson&Johnson”.

Rawlinson Terrabuio, Cofundador da Beenoculus, startup que na edição anterior do evento, ficou em 2° colocada das TOP 10 startups que mais chamaram a atenção das grandes empresas, contou que também fechou um negócio com uma grande empresa dentro do evento.

Ao todo no evento foram 2410 agendamentos de reuniões com as grandes empresas e 693 matches. Bruno Rondani, cofundador da Open Innovation Week, afirma que esse ano as grandes empresas estão muito mais maduras e sabem o que querem e as startups também estão com soluções que realmente atendem as expectativas das empresas, por isso o resultado do evento foi super positivo.

Outro diferencial dessa edição foi a expansão global, startups de oito países se inscreveram para o programa e ao final, 4 delas marcaram presença no evento. Já do Brasil, o evento recebeu inscrições de projetos de 236 cidades. “O programa hoje por ter consolidado uma rede de compradores de solução, que são as grandes empresas, se tornou atraente para startups de qualquer lugar do mundo”, comenta Bruno.

“Temos a expectativa de nos tornar uma rede internacional e ao longo do ano já estamos planejando fazer eventos como esse na Colômbia, Índia, e no futuro Europa, Estados Unidos e Canadá, pois já temos alguns acordos firmados.

Para encerrar o evento, foram eleitas as TOP 10 grandes empresas que mais demonstraram interesse nas startups e as TOP 10 startups que mais chamaram a atenção das grandes empresas.

TOP 10 empresas

Algar
Natura
Accenture
Johnson&Johnson
Ambev
Grupo Boticário
Whirpool
CEMIG
3M
Smart Fit

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Top 10 Startups

Kitutor
Opinion Box
Minimac Systems
Descola
Kriativar
Senfio
Beenergy
Contraktor
Nama
GoEpik