O Grupo Algar, em parceria com a Endeavor, acaba de anunciar o lançamento do Algar Ventures Open, um programa de aceleração que irá proporcionar aos empreendedores acesso privilegiado a um grupo de empresas que tem mais de 2 milhões de clientes no Brasil e na América Latina.

A iniciativa deve funcionar como uma plataforma para acelerar o desenvolvimento de empresas com produtos inovadores, por meio da conexão com executivos do grupo e maior facilidade de acesso à clientes e parceiros, além do apoio de mentores da Endeavor.

A iniciativa vai apoiar 15 empresas com potencial de alto crescimento nos setores de tecnologia e comunicação, agroindústria, turismo, entretenimento e energias renováveis. Ao contrário de outros programas de aceleração, o Algar Ventures Open não condiciona equity nas empresas participantes. O grupo Algar e outros parceiros estarão olhando de perto para que, ao final, possam possivelmente selecionar as melhores para investimento.

O programa tem 6 meses de duração e se baseia em 3 pilares:

Aceleração: Acompanhamento de um mentor/padrinho especialista no maior desafio de crescimento do seu negócio;

Networking: Troca de experiências com uma comunidade de empreendedores que estão à frente de scale-ups e que se ajudam mutuamente a vencer desafios,

Conexões Algar Ventures: Faça networking com unidades de negócios sinérgicas e executivos da Algar, com possibilidade de investimentos da Algar Ventures.

“O relacionamento dos empreendedores com os executivos das empresas Algar vai ajudar na conexão com as oportunidades internas e até mesmo com a cadeia dos setores que o Grupo está envolvido, facilitando o crescimento das scale-ups. Somado a isso, as mentorias e apadrinhamentos da Endeavor vão ajudar o empreendedor a focar nos desafios que existem ‘da porta para dentro’ e também com conexões com o mercado”, diz Clau Sganzerla, vice-presidente de Estratégia e Inovação da Algar.

Requisitos do Programa:

Além da presença nos setores citados, as empresas devem ter em seu portfólio uma solução inovadora e já comprovada pelo mercado, com potencial de escalar, ou seja, capacidade de crescer e multiplicar seu impacto. Para Clau, essa é uma das características mais importantes: “Estamos procurando empresas com soluções de caráter disruptivo que estejam prontas para crescer e ganhar escala no mercado”.

As soluções devem resolver problemas relacionados a:

– Soluções para geração distribuída de energias renováveis e smart grid;

– Experiência do consumidor para complexos turísticos;

– Alimentos funcionais que tragam benefícios para a saúde humana;

– Inteligência cognitiva e plataformas que promovam a melhor experiência do consumidor final no online e offline;

– Soluções que promovam o ganho de produtividade na gestão do ambiente de tecnologia de empresas (Big data, Analytics, Cloud);

– Ferramentas e tecnologias para a gestão eficiente para o agronegócio e/ou ambientes urbanos (IOT);

Outro ponto que será levado em consideração é o timing do negócio – o programa está à procura de empresas que estejam com modelo de negócio e produto minimamente desenvolvidos, e já sendo aplicados no mercado em busca de um salto para crescimento.

As inscrições vão até o dia 5 de março e os selecionados serão divulgados em 31 de março.