Nasceu em São Paulo, a primeira aceleradora para cervejarias artesanais do País. O projeto dos sócios Diego Valverde e Marcelo Saraiva teve início, é claro, em uma conversa de bar. Foi durante uma conversa no Capitão Barley, em São Paulo, bar especializado em cervejas artesanais do qual Marcelo também é um dos sócios.

“No momento eu estava trabalhando com aceleração de startups, em meio à conversa enxergamos semelhanças nas necessidades e desafios desses empreendedores com os cervejeiros caseiros”, explica Diego. A necessidade (e dificuldade) de acesso a capital e de transformar o hobby em negócio, aliada aos desafios para crescer e conquistar mercado levaram ambos a investirem neste segmento.

Assim, três premissas foram pensadas: “será que existe uma grande quantidade de pessoas produzindo cervejas? Será que são cervejas de qualidade e que estes cervejeiros gostariam de transformar algo amador em negócio?  A fim de que estas premissas fossem validadas, um investidor-anjo fez um aporte inicial para que déssemos inícios às nossas atividades”, diz.

Diego Valverde, sócio-fundador da Bier Hub. Foto: Divulgação

O processo de aceleração

Os cervejeiros artesanais que criam e produzem suas próprias receitas podem aplicar para participar do processo do BierHub. Dentre todas as inscrições, cinco receitas são selecionadas para participarem de um dos eventos mensais de degustação da aceleradora.

Neste evento, a cerveja mais votada pelos participantes e melhor avaliada pelo júri técnico fará parte, enfim, do processo de aceleração. O júri técnico é composto por pessoas certificadas pela BJCP ( Beer Judge Certification Program) convidadas por mês. Em janeiro, o convidado foi André Cancegliero, da Cervejaria Urbana.

A aceleração do BierHub auxilia as cervejarias a desenvolver os processos de construção da marca: marketing, departamento jurídico, administrativo e financeiro.

Após este processo, a cerveja receberá uma produção 100% financiada pela aceleradora, além de entrar para o clube de assinatura do BierHub, em uma parceria com a Wbeer. Após passar pelo clube de assinatura, a cerveja campeã será comercializada durante um mês exclusivamente no e-commerce da Wbeer, e posteriormente distribuída em todos os pontos de venda parceiros de ambas as marcas. O mínimo produzido para cada rótulo são 2 mil litros.

Em seis meses de existência, já foram realizados nove eventos em São Paulo , Brasília , Salvador e Berlim.

Mercado

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), a categoria de cervejas especiais representa cerca de 5% do mercado total, e até 2020 este número deve dobrar de tamanho.

Atualmente, o Brasil é o terceiro maior mercado do mundo em volume vendido de cervejas artesanais. Entretanto, segundo Diego, o Market Share de cervejas realmente artesanais ainda é pequeno (0,6%). Nos EUA, este volume chega a 20%.

“Tanto aqui no Brasil como nos Estados Unidos e Europa, a cerveja artesanal está em fase de crescimento e ganhando cada vez mais interesse do público. É um caminho sem volta. O objetivo do Bier Hub é se posicionar como instrumento transformador nesse mercado para que ele fortaleça cada vez mais”, afirma o sócio.

IX Bier Hub Festival. Foto: Divulgação

Falando sobre o cenário do empreendedorismo no segmento de produtos artesanais nos últimos anos, Diego acredita que ainda é muito recente para termos uma analise mais assertiva. “Porém acreditamos que com mais informação e possibilidade de profissionalização, assim como ocorreu no setor de tecnologia – por exemplo com as fintechs – o setor de bebidas possui espaço para criação de projetos inovadores em toda a cadeia produtiva, desde produção como logística, relacionamento com clientes e etc.”

O fundador da aceleradora acredita que o brasileiro é empreendedor e criativo por natureza, não existindo assim barreiras para que o País se torne logo referência no mercado de bebidas em escala global. “O Bier Hub acredita nisso e identificamos que com maior incentivo ao consumo de cerveja de qualidade, somados a uma crescente busca de novidades por parte do consumidor, criamos um ambiente ideal para nosso investimento”, diz.

Futuro

Para os próximos meses, Diego diz que as expectativas da Bier Hub são as melhores possíveis. “Além de mantermos nossa agenda de eventos por todo o Brasil e exterior, até o final do ano lançaremos filiais nos Estados Unidos e Europa, possibilitando o intercâmbio de produtos e tecnologia nesse mercado.”

Em parceira com a Wbeer, serão realizados mais 11 eventos neste ano, um por mês, em diversas capitais do Brasil, além do intuito de realizarem mais quatro no exterior e dois em São Paulo.

Em seis meses de existência, a aceleradora já produziu seis receitas, e pretende acelerar três cervejarias ainda no primeiro semestre de 2017, totalizando mais de 8 mil litros produzidos e vendidos. Até o final do ano, o objetivo é ter de seis a oito cervejarias aceleradas no programa.

Diego finaliza, com um brinde: vida longa às cervejas artesanais de verdade.

Viva!