Aconteceu no Google Campus SP, na última terça-feira, a terceira edição do Prêmio Mulheres Tech em Sampa. O evento é uma iniciativa da Tech Sampa e da Rede Mulher Empreendedora que visa empoderar e fomentar o empreendedorismo feminino na cidade.

De acordo com Ana Fontes, fundadora da RME, os critérios para a seleção dos projetos este ano foram: ser uma startup liderada por uma mulher e, de preferência, ter impacto social. “A edição não foi focada em negócios sociais, mas isto também foi importante para nós”, explica Ana.

Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora

As duas primeiras edições do evento, segundo Michel Porcino, da Tech Sampa, visavam formar desenvolvedoras para trabalhar no mercado de tecnologia. “Este é um gap ainda muito grande na cidade de São Paulo, e nosso objetivo é empoderar estas mulheres”, explica.

No Vale do Silício, um dos maiores hubs de empresas de tecnologia do mundo, apenas 30% das startups são geridas por mulheres. No mundo, este número não passa dos 18%. Em São Paulo, a quantidade é ainda menor: apenas 13% das startups são fundadas e/ou gerenciadas por mãos femininas.

Para Ana Fontes, esta quantidade de empresas lideradas por mulheres na cidade paulistana tem crescido, mas não na mesma proporção em que os empreendedores da cidade têm faturado. “Hoje há mais mulheres criando negócios, mas não na área de tecnologia. Por isso a importância de iniciativas como esta. O empreendedorismo feminino, infelizmente, ainda não está crescendo na proporção do empreendedorismo em geral. É este cenário que estamos nos propondo a mudar.”

Leonardo Tristão, country manager do Airbnb no Brasil

Além da parceria entre a Tech Sampa, projeto da prefeitura de São Paulo, e a RME, este ano a premiação contou também com o apoio do Airbnb. As vencedoras receberão por seis meses mentorias, assessoria de imprensa e, por meio do Airbnb, terão acesso à Casa das Empreendedoras.

O espaço será uma espécie de pop-up coworking, que receberá as líderes das startups a partir de março, oferecendo workshops, acesso ao mercado e a investimentos. “A Casa funcionará em dois momentos do programa. Nestes períodos de imersão, convidaremos investidores para avaliarem as empresas e grandes empresas para se conectarem com as soluções que estão sendo vendidas. No segundo momento, elas serão preparadas para o pitch final para os investidores”, explica Michel.

O Airbnb oferecerá ainda uma viagem para o Vale do Silício, no meio do ano, em que a startup selecionada ao final deste período de imersão poderá conhecer a sede da empresa, receber mentoria e ter acesso ao ecossistema e grandes empresas da região.

“Incentivar o protagonismo das mulheres empreendedoras por meio da parceria neste projeto nos deixa muito felizes. Acredito que esta união de esforços para empoderar as mulheres na cena digital enriquece a cidade de São Paulo e a coloca numa posição de liderança em tecnologia e inovação”, afirmou Léo Tristão, country manager do Airbnb no Brasil, ao anunciar a parceria.

Conheça abaixo as startups vencedoras:

Vittude: Marketplace que conecta psicólogos e pacientes, promovendo saúde e bem-estar, liderado por Tatiana Pimenta.

Testr: Solução democratiza os testes de usabilidade ao simplificar os processos com uso da tecnologia, liderado por Elisa Volpato.

SoulVox: Solução possibilita que pessoas com comprometimento na fala, possam voltar a se expressar de maneira mais humanizada, liderado por Thais Romanelli.

Nahora.com: Plataforma de vendas relâmpago de passagens aéreas com até 50% de desconto, liderado por Maria Alice Cabral Maia.

Celebrar: Marketplace colaborativo de serviços para festas que conecta formandos e organizadores a fornecedores de serviços, liderado por Camila Florentino.

Beleza de Farmácia: Aplicativo de smart choice que auxilia a consumidora na decisão de compra de beleza, liderado por Maytê Carvalho.

As outras startups finalistas da premiação foram: Click BabáComadresCuponeriaHisnek, uBoi e VeggieBox.

Startups vencedoras e jurados da premiação