* Por Pedro Clivati

Já houve tempos (há não muito tempo) que fazer marketing de conteúdo era inovador e revolucionário. Ao fazer marketing de conteúdo, você estava se diferenciando da concorrência, estava se posicionando como uma autoridade no assunto e, consequentemente, sendo encontrado como tal referência.

Pois bem, alguns anos depois da onda da inovação, nos encontramos em um cenário em que o marketing de conteúdo não é mais aquele diferencial e sim uma atividade básica, fundamental de empresas que buscam se posicionar no ambiente online. Mas… e agora? Devo deixar de fazer marketing de conteúdo? Devo voltar aos formatos tradicionais e anunciar numa lista telefônica? Devo me conformar que perdi a minha chance? Não, não e não!

Segundo uma pesquisa do Content Marketing Institute (CMI), uma média de 28% do orçamento de marketing é investido na produção de conteúdo e 51% dos respondentes da pesquisa afirmam que irão aumentar esta porcentagem este ano. Ou seja, se você está com medo da quantidade de conteúdo sendo produzido agora, prepare-se!

Por outro lado, uma pesquisa feita pela Sirius Decision concluiu que entre 60% e 70% do conteúdo produzido por empresas B2B nunca chega a ser utilizado de fato! Destes 60-70%, 29% não chega a ser utilizado porque não é relevante para as personas foco e 25% não é utilizado porque as personas nem tomam consciência de que o conteúdo existe!

Pois bem, antes de falarmos que a estratégia de marketing de conteúdo perdeu a eficiência, temos que tratá-la com a devida seriedade! É sim verdade que nunca foi criado tanto conteúdo quanto hoje em dia e que (como qualquer outra estratégia) é mais difícil atingir resultados quando você não está sozinho no mercado, porém, nada mais natural – e saudável – do que a concorrência.

O fato é que estratégias malfeitas, conteúdos produzidos sem um objetivo claro e com baixa qualidade, distribuições mal executadas e a falta de processo serão os grandes vilões do marketing de conteúdo… e não o volume!

Como Michael Porter disse, “a essência de uma estratégia é escolher o que NÃO fazer”. Talvez empresas devessem investir mais tempo em ferramentas, processos e pessoas do que em quantidade!


Pedro ClivatiPedro Clivati é cofundador e responsável pela expansão global da Contentools. Como evangelista de Marketing de Conteúdo, Pedro participou de conferências em toda America Latina, prestando consultoria a medias e grandes empresas sobre Marketing de Conteúdo, Inside Sales e Inbound Marketing.