*Por Bruno Perin

Se já faz um tempo que você está nesse mundo do empreendedorismo, seja empreendendo ou apenas consumindo conteúdo, já deve ter se deparado inúmeras vezes com o seguinte posicionamento – Nada é mais importante do que o time no início do negócio.

Se você é novo neste universo, então pode até ficar um pouco em choque com isso, mas nem tanto. A lógica por trás do pensamento na verdade segue a pratica. Uma ideia pode ser excepcional, mas sempre precisará de ajustes, pois o mercado é muito diferente do que imaginamos quando lançamos algo, e sua constante mutação também faz com que as mudanças no negócio sejam algo esperado.

Ainda você pode pegar vários livros, entrevistas, palestras e afins dizendo a mesma coisa. No início a equipe muito boa é capaz de conseguir fazer esses ajustes para chegar até algo que se encaixe o mercado. A equipe ruim com uma ideia sensacional geralmente não chega em lugar nenhum.

“NENHUMA IDEIA É SUFICIENTEMENTE BOA PARA VIRAR UM GRANDE NEGÓCIO SEM UMA EXCELENTE EQUIPE.”

A equipe é importante,mas que equipe? 

No entanto, quando essa compreensão existe a primeira pergunta que vem a mente é – Ok, mas quem deve ser o meu time?

Eu já tive tantas experiências nisso que esses tempos a vida me propiciou uma última percepção muito interessante. Há pouco tempo comecei a investir em empresas e tive a oportunidade de acompanhar duas equipes distintas em ação.

Na primeira, era uma equipe maior (5 pessoas), composta de pessoas com grande conhecimento acadêmico e um certa pratica no mercado, conhecimentos de certa forma similares, com habilidades complementares. A ideia neste grupo era agregar conhecimentos em gestão e novos modelos de negócio. Já no outro time, éramos apenas 3 – um grande expert no mercado em que iríamos atuar, um ótimo desenvolvedor e eu na questão de modelar o negócio.

Fiquei extremamente impressionado com o andamento das duas, a primeira demorou um bocado mais para começar a andar com um negócio, apesar de já ter mais maturidade até como empresa. A segunda, apesar de menos gente, teve uma compactação muito interessante, o qual me chamou atenção para escrever este artigo, afinal na comparação uma evolui muito mais rápida que a outra.

Este podcast complementa a ideia de você querer pensar em conseguir investidores – Investidores são um meio, não um fim.

O time “perfeito”

Claro que o time perfeito não existe, sempre você poderá melhorar algo, sempre teria como ter pessoas melhores e tudo mais… Mas, esta foi a melhor formação que já fiz parte, tanto que hoje tenho procurado outras assim para me envolver.

EXPERT NO MERCADO – Eu diria que é o mais importante, pois é quem de fato entende aquele ambiente para saber de problemas que são relevantes a ponto de precisarem ser resolvidos. É MUITO, MAS MUITO bom se é alguém referência a ponto de ter capilaridade. O custo de energia, tempo e dinheiro para atingir as pessoas do mercado, as vezes pode consumir muito da Startup. Quando é alguém referência já temos a ponte mais rápida, credibilidade e assim fica muito mais veloz fazer os testes de mercado.

DESENVOLVEDOR(A) – Quem cria, é a segunda pessoa mais importante, pois é caro conseguir pagar para desenvolver algo e manter isso no pagamento até chegar a um bom MVP. Também precisamos lembrar que a versão é sempre beta e precisa melhorar. Quando está dentro da equipe é muito mais próximo e elimina o que seria a parte mais cara do negócio, principalmente quando é alguém muito bom que saber fazer com rapidez e eficiência tudo isso. O fato de saber o que está sendo mais usado no mercado e ter boas percepções sobre o que está acontecendo no produto ou serviço para ir melhorando é outro dos pontos cruciais de ter essa pessoa na equipe.

MODELAGEM DE NEGÓCIO – Não existe um nome especifico, pode ser empreendedor, gestor ou o que for, a questão aqui é a pessoa que consegue fazer essa mediação entre o que a pessoa expert notou de grande problema, desenhar algo interessante para começar e passar ao desenvolvedor. E depois, a parte mais importante, entender como o negócio está rodando para saber indicar os ajustes corretos, intercalando a compreensão de mercado do expert, do desenvolvedor e as suas próprias. Muitas vezes mentores fazem esse papel e as pessoas até tentam buscar esse conhecimento por si só em cursos de empreendedorismo, mas é bem diferente quando se tem algo que é fera no assunto.

“APENAS GRANDES TIMES TRANSFORMAM IDEIAS EM ÓTIMOS NEGÓCIOS.”

Por onde seguir?

Essa equipe é muito interessante, pois para começar ela é bem completa para conseguir encontrar uma real oportunidade de negócio e levar adiante. Claro que existem várias formações que deram certo diferente dessa que foi aqui apresentada e nem sempre você pode conseguir cada uma dessas pessoas. Mas, fica uma referência para você procurar, talvez seja alguma dessas pessoas citadas que estejam faltando no seu time. O que vários empreendedores têm sentido na pele é o quão caro pode ser não ter ótimas pessoas para estar com você no início da jornada e colocar qualquer uma que esteja bem-intencionada no time.

Depois de tantas equipes que já participei nessa formação tive os melhores resultados e retornos. Nem sempre é fácil, mas vejo que muitas vezes as pessoas dedicam pouco tempo a formar sua equipe…

Neste vídeo você pode ver um pouco mais sobre equipe:


Bruno PerinBruno Perin, um cara Free LifeStyle, empreendedor, consultor, palestrante e escritor. Autor do livro – A Revolução das Startups. Pioneiro na combinação dos conhecimentos em Startup, Empreendedorismo, Marketing e Comportamento Jovem alinhado a Neurociência. Busca das formas mais diferentes, malucas e inusitadas possíveis desenvolver pessoas e negócios que façam a diferença no mundo, de jeito divertido, valorizando a vida e o agora.