* Por Nany Martins

É jovem, ousado e cheio de ideias? Então, você pode ser um potencial empreendedor de startups. De acordo com uma pesquisa feita recentemente pelo Sebrae-SP, no geral, esse tipo de empreendedor tem em média 33 anos e possui um alto grau de escolaridade.

Se você se encaixou neste perfil e sente que precisa mudar, então comece a pensar que empreender pode ser um bom negócio. Projete-se trabalhando com isso daqui a 10 anos, se sentir borboletas na barriga esta no caminho certo. Estude, busque, inove e não tenha medo.

Mesmo com a crise econômica nos últimos tempos, o volume dos chamados investimento-anjo no Brasil continuou crescendo. Um panorama apresentado na Conferência Nacional da Anjos do Brasil mostrou que, entre julho de 2014 e junho de 2016, o valor aportado em startups teve um crescimento de 14%, atingindo um total de R$ 784 milhões. Para se ter uma ideia, os valores dos investimentos-anjo variam entre R$ 50 mil a R$ 3 milhões.

Quando falamos em jovens empreendedores, é comum pensarmos instantaneamente em criadores de startups, que têm ideias inovadoras na área digital e que sonham grande. Esse tipo de profissional busca criar negócios inovadores que sejam diferenciados e agreguem valor.

Esse tipo de profissional é mais organizado, possui um planejamento mais estruturado, network invejável, pois sabe que sozinho e sem parceria não vai a lugar nenhum. Eles não têm medo de assumir grandes desafios e riscos, uma característica fundamental do jovem criativo. E se você pensa que eles não são sociáveis, está enganado. Sim! Esses jovens também fazem parte do grupo.

Como se descobrir um potencial empreendedor?

Faça um autoexame e conclua se está enquadrado nesse perfil: os jovens empreendedores são aqueles que trabalham por um propósito. Mesmo que os faltem experiências na prática, eles disparam na frente quando se refere a planejamento empresarial.

Esse perfil já sabe da importância em estruturar melhor o seu negócio antes de colocar suas ideias em prática. Os novos empresários buscam preparar-se bem e agregar todos os tipos de conhecimento ao seu know-how e expandir continuamente. Organizar suas ideias, fazer o planejamento das ações é ser muito mais assertivo na tomada de decisões. Olhar o mundo fora da caixa e ver oportunidades onde ninguém mais vê é uma das características desses empreendedores.

Quando uma ideia se torna um projeto?

O empreendedor precisa começar com uma ideia e com a clara noção de que ela precisará de muitas adaptações, complementações e mudanças. Ter um coach pode ajudar, e muito, a definir onde você está, para onde ir e como ir. Esse profissional também pode montar planos de ação para que as coisas se concretizem. Isso faz toda a diferença na trajetória de quem quer chegar no tão sonhado objetivo.

Já tem uma ideia? Pega o papel e caneta (ou abre o word) que aqui vão algumas dicas:

1 – Separe por itens, exemplo o Marketing, e faca uma lista do que você precisa (plataforma, redes sociais, assessoria de imprensa, site, logo, identidade visual etc) e de quem pode te ajudar e como, simples não é? Isso te ajudará muito no desenho inicial do planejamento.

2- Busque pessoas para se inspirar, veja como acertaram e onde erraram.

3 – Faça uma revisão de competências, veja o que precisa melhorar e como faria isso.

4 – Trocar ideias é fundamental para o negócio. Ao exercitar a troca de ideias e informações, o empreendedor corre o risco de encontrar outros empreendedores que possuem ideias complementares. Neste caso, sem as neuras de alguém roubar suas ideias, pelo amor de Deus.

* Nany Martins é coach na Awee4Life