O Peixe Urbano realizou uma pesquisa com de abrangência nacional, para entender quais as dificuldades encontradas pelos seus parceiros na hora de tocar o seu negócio. O estudo identificou inúmeros pontos, como itens mais preocupantes ao abrir um negócio local, questões burocráticas e de infraestrutura, e reuniu recomendações que cultivam uma melhoria no ambiente empreendedor.

A pesquisa, realizada entre março e abril deste ano, abrange os diferentes segmentos do Peixe Urbano, sendo que o setor de maior participação são os Serviços Locais (autoescola, casas de festa, petshop, automotivo, entre outros), com 76%, e Turismo e E-commerce, com 12% cada.

Quando perguntados para classificar por ordem de importância os itens mais preocupantes para abrir um negócio, a maioria (3,71) respondeu infraestrutura, seguido de impostos (3,44), burocracia (3,28), custo de capital inicial (3,13) e capital humano, com 3,04.

 

Imagem: divulgação.

Imagem: divulgação.

Em relação à infraestrutura, o item de maior dificuldade é a dependência de poucos fornecedores (59,2%) e a falta de fornecedores qualificados (40,8%). Já sobre impostos, para a grande maioria (69,8%), o problema são as altas cargas tributárias,   e a complexidade em pagar os impostos (23,8%).

Sobre a burocracia, a lentidão para a formação da empresa, obtenção de alvarás e licença é um dos maiores percalços para os empreendedores, com 69,8% das respostas. 29,8% dos empresários responderam complexidade da legislação em seu setor.

Os altos juros (57%) é o item que mais dificulta os custos de capital, seguido de dificuldades de conseguir financiamento/crédito (37,4%). 5,7% responderam outro.

Imagem: divulgação.

Imagem: divulgação.

pasted-image-0-1

Imagem: divulgação

Sobre o capital humano, a dificuldade em encontrar profissionais capacitados (67,8%) é o maior problema para as empresas. A falta da capacitação da equipe aparece em seguida com 11,6%. 7,9% dos respondentes disseram falta de capacitação própria ou dos sócios e 3% sentem falta de um mentor.

Entre outras dificuldades, destacam-se alta concorrência seu setor (80,3%) e mercado restrito (19,7%).

Imagem: divulgação.

Imagem: divulgação.

“Com essa pesquisa, conseguimos identificar as principais deficiências de empreender no Brasil, através da opinião de nossos parceiros de todo país. O papel do Peixe Urbano vai muito mais além de ser somente um canal de venda, e sim fomentar o empreendedorismo, fornecendo esse tipo de inteligência para que eles possam aprimorar os seus negócios”, diz Alex Tabor, CEO e cofundador do Peixe Urbano.