A Uber acaba de realizar a primeira entrega com seus caminhões autônomos: 50 mil latas de Budweiser. O veículo percorreu quase 200 quilômetros no Colorado, EUA, desde a cervejaria até o seu destino. As informações são do Wired.

A estreia das entregas pode estar acontecendo só agora, mas a Uber adquiriu em agosto a startup responsável pela tecnologia dos caminhões. A Otto, startup norte-americana, foi adquirida por cerca de US$ 680 milhões, de acordo com pessoas familiarizadas com a transação.

A tecnologia do caminhão funciona apenas na estrada, onde não precisa lidar com variáveis difíceis, tais como pedestres, vias paradas ou ciclistas. Ele mantém uma distância segura dos outros veículos e realiza mudanças de pistas apenas quando é absolutamente necessário.

“A tecnologia está pronta para começar a fazer estes pilotos comerciais”, diz o cofundador da Otto, Lior Ron. “Ao longo dos próximos dois anos, vamos continuar a desenvolver a tecnologia, para que ela esteja realmente pronta para enfrentar qualquer condição na estrada.”

Equipado com cerca de US$30 mil, entre hardware e software, a tecnologia da Otto funciona em qualquer caminhão com uma transmissão automática.

No interior do veículo, as poucas sugestões de um futuro livre de humanos incluem dois pequenos botões vermelhos, que ligam e desligam o sistema autônomo (um perto do volante, o outro na cabine atrás dos bancos) e o interruptor on/off , identificado como “Engage”. Uma série de computadores transforma todos os dados coletados no trajeto em instruções de direção, e um engenheiro da Uber mantém o controle sobre tudo.

Os veículos autônomos estão se tornando uma necessidade no mercado, em especial os caminhões. A indústria de caminhões transporta 70% das mercadorias nos EUA, o que equivale a cerca de 10,5 bilhões de toneladas anualmente, e a quantidade de motoristas disponíveis não atende a grande demanda no país. A American Trucking Association calcula o déficit em 48 mil motoristas atualmente, e diz que a quantidade pode atingir 175 mil até 2024.