As férias escolares aconteceram este ano para a maior parte dos graduandos no Brasil, mas não para os universitários selecionados pelo programa Academic Working Capital. Cerca de 60 alunos participantes da iniciativa – desenvolvida pelo Instituto TIM – trocaram alguns dias do recesso por um workshop na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, onde estiveram reunidos para ouvir palestras, participar de dinâmicas e discutir seus modelos de negócio. O programa AWC apoia o desenvolvimento de produtos e negócios tecnológicos e inovadores idealizados por estudantes de graduação de todo o Brasil em seus Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC).

Ao todo, são 26 projetos que usam a tecnologia para solucionar problemas identificados em diversos mercados. Nesse ano, as ideias abrangem diferentes setores, desde mercado financeiro até educação e mundo fitness, com universitários de Distrito Federal, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Ao final de 2016, os jovens terão a oportunidade de participar de uma Feira de Investimentos em que apresentarão suas propostas de negócios para investidores reais e profissionais do mercado. Ao longo de todo o ano, os universitários são acompanhados por monitores e recebem apoio financeiro para montar o protótipo e dar os primeiros passos em seu negócio.

O presidente do Instituto TIM, Manoel Horacio, foi um dos palestrantes do workshop. Ele compartilhou com os estudantes um pouco de sua trajetória profissional, desde quando começou a trabalhar muito jovem como entregador de encomendas em um armazém até os dias de hoje, como presidente do Instituto TIM e membro de conselhos de empresas. “Meu pai foi jardineiro a vida toda e minha mãe foi empregada doméstica. Eu ralei muito, assim como vocês fazem agora, para poder chegar à presidência de uma empresa”, disse. Manoel falou sobre atitudes que todo empreendedor deve ter, como persistência, criatividade, ética, foco e comprometimento com o projeto e o grupo. “Tem que começar pequeno e pensar grande, recomendou.

Conheça alguns projetos de destaque de AWC 2016:

Invitech (Universidade Federal do ABC) – Consultor de investimentos automatizado voltado para usuários que não têm experiência no mercado financeiro e de ações, mas se interessam em realizar pequenos investimentos. De forma automática e intuitiva, o cliente responde a um questionário, define a quantia que será investida. Um algoritmo sugere ativos para o investidor alocar seus recursos.

Nanotropic (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) – A startup pretende desenvolver “nanoplástico” semelhante aos utilizados nas embalagens tradicionais, mas com propriedades bactericidas e fungicidas. Esse tipo de produto pode ser aplicado na fabricação de embalagens de produtos orgânicos e perecíveis, por exemplo, e tem poder de matar bactérias e fungos que causam a decomposição de alimentos. De forma eficaz e mais barata que a produção tradicional, os estudantes conseguiram aumentar em 10 vezes o tempo de vida de um alimento dentro da embalagem.

Plato Guru (Universidade de São Paulo) – Plataforma digital focada em vestibulandos, o Plato Guru utiliza a inteligência artificial (IA) para se tornar um eficiente assistente pessoal de estudos. O usuário responde a um simulado e o serviço, desenvolvido para web e mobile, avalia os pontos fracos e indica exercícios das disciplinas que o estudante mais precisa. De forma totalmente personalizada, o sistema ainda indica os melhores recursos (como vídeo-aulas ou exercícios) para potencializar o aprendizado.

Impressora de Metal (Universidade de São Paulo) – O produto é desenvolvido como ferramenta de prototipagem rápida de peças metálicas. Com ele, os estudantes conseguiram criar uma ferramenta de impressão em metais, fresadora CNC e plotter de recorte de metais. O projeto visa o mercado de designers e de pequenos produtores e artesãos.

Periodiza (Universidade Federal de São Carlos) – O grupo de estudantes criou um software de periodização de treinamento automatizado, por meio de algoritmo específico, que pode auxiliar na criação e no acompanhamento de treinos por personal trainers e professores de academia. Atualmente, esse processo é inteiramente realizado manualmente. Com o software, é possível acompanhar histórico de treinos, relatórios individuais de evolução e informações específicas como quantidade de peso, de repetições e tempo de cada exercício.