A Associação Latino-Americana de Private Equity & Venture Capital (LAVCA) anunciou hoje o lançamento da plataforma de conteúdo sobre investimento de risco, com informações sobre negócios recentes, as perspectivas dos investidores, pesquisas e notícias com curadoria do ecossistema venture da América Latina.

Os investidores de risco têm implantado mais de US$ 2,1 bilhões na América Latina desde 2011, o que demonstra um aumento da atividade ano a ano, segundo o relatório Latin America Venture Capital Trends de cinco anos da LAVCA. Mesmo no contexto de recessão econômica do Brasil, os investidores de capital de risco têm implantado níveis recordes de capital no país em 2015, com US$ 594 milhões investidos em 182 negócios.

Fora do Brasil, o México é o segundo mercado de VC mais ativo na América Latina, com US$ 260 milhões implantado nos últimos cinco anos; fluxo de negócios é de até seis vezes mais (em US$) desde 2011. Há uma nova dinâmica em torno de ofertas na Argentina, assim como a atividade em curso na Região Andina (Colômbia, Peru e Chile).

“Além da atividade VC em crescimento na América Latina, temos visto um aumento no interesse internacional em startups locais, uma indicação importante de um ecossistema em amadurecimento”, disse Cate Ambrose, Presidente e Diretor Executivo da LAVCA. A plataforma de conteúdo da Associação se tornou possível com apoio contínuo da Telefónica Open Future e Omidyar Network.

“Estamos sempre à procura de maneiras para apoiar o talento empresarial e alavancar nossos recursos para transformar ideias inovadoras em negócios de sucesso”, disse Javier Placer, CEO da Telefónica Open Future. “A América Latina continua a ser um importante e próspero ecossistema em fase inicial e a LAVCA é o parceiro perfeito para envolver esse público”, diz.

Julie Ruvolo, Diretor de Estratégia de Venture Capital  na LAVCA, juntou-se no início de 2016 para liderar a nova plataforma. “Dada a dinâmica em torno de investimento de risco na América Latina, e o fato de que a população digital deverá duplicar nos próximos anos, nós quisemos criar uma plataforma dedicada para traçar essa trajetória de crescimento”, disse Ruvolo.