O Startupi é parceiro de mídia do GMIC 2016 e conseguiu um desconto especial para os leitores. Acesse a página do evento por este link e resgate os 20% de desconto!

Já percebeu que, cada vez mais, é comum as pessoas acordarem e checarem seus e-mails, redes sociais e os mais diversos aplicativos? Para profissionais que desenvolvem aplicativo esse comportamento é mais que esperado, afinal, para eles ‘o mobile está conquistando o mundo’. E não deixa de ser verdade porque, de acordo com o Deloitte, o brasileiro olha, em média, 78 vezes para o seu smartphone diariamente.

Além disso, 57% dos brasileiros com smartphone checam o aparelho em menos de cinco minutos depois de acordarem, incluindo 35% que dizem verificar imediatamente após despertarem – mesmo sem contar quem o faz apenas para desligar o despertador ou outra atividade corriqueira. Ainda segundo o mesmo levantamento, o smartphone é o canal favorito para o acesso de aplicativos de relacionamento, como redes sociais, de 55% dos brasileiros.

Sabendo disso, os profissionais de ‘mobile growth’ – especialistas em tecnologia mobile com foco em crescimento –, estão cada vez mais competitivos para levar os seus aplicativos aos aparelhos celulares do Brasil e do mundo. Isso porque a competição global entre apps de diferentes países e as crises econômicas mundo afora têm tornado o mercado mais competitivo para levar um aplicativo ao mercado, e com isso os profissionais de mobile growth e online marketing buscam novas estratégias para elevar o número de usuários de seus aplicativos.

Para Andy Young, palestrante do GMIC São Paulo 2016 e chefe de expansão da Kaszek Ventures “os profissionais que quiseram adquirir usuários para seus apps precisarão analisar seu comportamento. Essa é uma tendência global. Compreender o usuário permite que o profissional direcione sua mensagem, com a palavra-chave e o anúncio de acordo com a necessidade de seu cliente em potencial e, assim, retê-lo”. O executivo ainda explica que “saber como reter usuários é importante para direcionar melhor as mensagens da empresa, porque com taxas de retenção mais elevadas é possível gastar mais com clientes em potencial, em vez de buscar volume de usuários”.

Com mais de dois milhões de aplicativos disponíveis hoje, fazer com que um deles seja descoberto é um dos maiores desafios encontrados pelos profissionais de growth atualmente. Ainda mais sabendo que 92,9% dos usuários brasileiros param de usar qualquer aplicativo passados os 14 primeiros dias de seu download, segundo dados de maio da Adjust, empresa de análise e atribuição mobile. É por isso que esses profissionais e os maiores players do mercado mobile se reunirão no dia 24 de agosto, durante o Global Mobile Internet Conference, no WTC Events Center, em São Paulo, para descobrir e compreender novas técnicas e métodos de divulgação do seu aplicativo.

Entre as principais técnicas utilizadas, quando se trata de aquisição de usuários, é o marketing de conteúdo, que desempenha um papel central em diversas startups, inclusive. Afinal, o profissional de growth hacking tem expertise para crescer a base de usuários sem precisar de grandes investimentos, que é o desafio desse tipo negócio. E conteúdo é tudo.

Para Neil Patel, palestrante do GMIC São Paulo 2016, e um dos mais importantes consultores de marketing digital, cofundador da Crazy Egg e KISSmetrics, “o conteúdo precisa ser valioso para os leitores. A startup ou a empresa precisa ajudar seu usuário no aplicativo a aprender alguma coisa e levar valor à sua vida de alguma forma. Só assim ele retornará para obter mais conteúdo e aí as chances de convertê-lo a cliente são maiores. Se o profissional de growth não fizer isso, perderá para a concorrência”. O executivo ainda lembra que “além de pensar na relevância do conteúdo, é muito importante que o profissional pense na estratégia de distribuição. Pensar em quem irá se beneficiar dele e como, seja pelas redes sociais, e-mail marketing, publicidade paga, enfim”.

Para saber mais detalhes sobre o GMIC São Paulo 2016, acesse a Agenda de Eventos Startupi.